ENTREVISTA

Shirley Cunha é a primeira mulher a assumir a AJE-MA

Ela revelou seus projetos para a entidade, para os próximos dois anos, e que ações serão desenvolvidas para intensificar a geração de negócios e networking entre os associados e parceiros

Foto: Reprodução

O sucesso do negócio é o que todo empreendedor almeja. E é com este pensamento que a empresária Shirley Cunha pretende fomentar sua gestão à frente da Associação dos Jovens Empresários do Maranhão (AJE/MA) para o biênio 2018/2019. Shirley Cunha, que ingressou na entidade em Janeiro de 2010, já participou da coordenação geral em duas gestões, uma como coordenadora do Conselho Feminino na gestão do presidente Cláudio Gomes e outra como diretora executiva na gestão do presidente Jurandy Theophilo.

Na semana em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, O Imparcial entrevistou Shirley Cunha, que tornou-se a primeira mulher a presidir a AJE-MA. Na conversa, Shirley Cunha revelou os seus projetos para a entidade, para os próximos dois anos, e que ações serão desenvolvidas para intensificar a geração de negócios e networking entre os associados e parceiros, além de outros assuntos. Confira a entrevista na íntegra.

O IMPARCIAL – Você é a primeira mulher a presidir a entidade. Como você avalia o seu papel de mulher e de empresária em um meio onde predominantemente a sua maioria é composta por homens?

Shirley Cunha – A participação feminina, em vários sentidos na sociedade, vem ocorrendo de forma gradual e progressiva. E hoje temos uma importante participação também no associativismo. Percebendo essa realidade, as mulheres estão buscando cada vez mais a sua força e representatividade. Na AJE, no universo de 111 associados, 31 são mulheres. Tenho a convicção de que com seriedade, compromisso e doação, sendo homem ou mulher, teremos sempre um resultado positivo.

O IMPARCIAL – Associação dos Jovens Empresários do Maranhão já identificou o número de mulheres à frente de empreendimentos no estado?

Shirley Cunha – Não temos esse levantamento, mas será uma ótima oportunidade de buscarmos esses indicadores e dentre outros, através de uma pesquisa do Jovem Empreendedor Maranhense.

O IMPARCIAL – Como a Associação dos Jovens Empresários do Maranhão (AJE/MA) pretende contribuir para geração de empregos, tributos e também para o fortalecimento da economia do estado?

Shirley Cunha – A AJE, hoje, agrega associados de mais de 30 seguimentos, gerando mais de 10.000 empregos diretos. Na maioria, somos micro e pequenos empresários. Com a troca de experiências, vamos fortalecendo nossas empresas, além de oferecermos o Programa Multi Gestão por exemplo, que auxilia as empresas em suas deficiências.

O IMPARCIAL – Durante o seu discurso de posse, você adiantou que, em sua gestão, serão desenvolvidos projetos para intensificar a geração de negócios e networking entre os associados e parceiros. De que forma a entidade pretende fazer isto?

Shirley Cunha – Muitos negócios já são gerados entre os associados. No nosso planejamento, buscaremos a Feira do Jovem Empreendedor Maranhense. Recentemente, sediamos a 84ª AGO (Assembleia Geral Ordinária) da Conaje – Confederação Nacional de Jovens Empresários –, um evento realizado pela Associação de Jovens Empresários dos Maranhão (AJE-MA) e o Conselho do Jovem Empresário da Associação Comercial do Maranhão (Conjove). AGO reuniu em torno de 150 jovens empresários do Brasil para discutir proposições importantes para o cenário empresarial econômico do Brasil. E, claro, uma grande oportunidade de geração de negócios e networking em nível nacional.

O IMPARCIAL – Existe algum projeto de aproximação destinado aos jovens empresários do interior do estado junto à entidade?

Shirley Cunha – Acreditamos muito que a força e a união transforma. No Maranhão, temos vários movimentos já no associativismo, trabalhando ativamente. Temos a AJE-MA, Conjove ACM, Conjove ACII-Imperatriz. Isso nos deixa muito felizes e com a convicção de que devemos agregar e contribuir ainda mais com o nosso estado. Temos o projeto de expansão do empreendedorismo no interior do estado, dando um suporte e apoio para os que estão começando e desenvolver os que ainda não existem, e esse será um dos nossos objetivos na gestão.

O IMPARCIAL – Quais serão as suas primeiras medidas como presidente da AJE/MA para que a entidade tenha mais visibilidade junto ao empresariado maranhense?

Shirley Cunha – A AJE, hoje, é destaque Nacional perante a Confederação Nacional dos Jovens Empresários (Conaje). Onde em um dos projetos, que é o Feirão do Imposto, o Maranhão se destacou em dois anos consecutivos nacionalmente com o troféu de engajamento na ação. Em 2016, o Maranhão ficou em segundo lugar e, em 2017, ficou em primeiro lugar, com a força dos movimentos maranhenses. Temos uma relação muito próxima e parceira com o nosso associado e com as entidades de classe fortalecendo ainda mais os relacionamentos. Temos participação em reuniões de conselhos: Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social (Comdes), Conselho Empresarial do Maranhão (Cema); Acesso à liberação da base de dados e visualização do cadastro de empresas registradas na Jucema. Além dos eventos realizados pela entidade voltados para os empresários: Rodada de negócios, Café Político, Reunião de Associados, entre outros.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS