dados 2017

São Luís registra 580 assaltos a ônibus

Comparando com 2016, quando foram contabilizados 604 assaltos, é possível observar uma queda no quantitativo destes crimes, ou seja, em 2017 foram 24 assaltos a menos que no ano anterior

Reprodução

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão divulga o resultado do quantitativo de assaltos a ônibus registrados na Grande São Luís nos últimos três meses de 2017. Em Outubro ocorreram 48 ações do tipo; 30 em Novembro e 42 assaltos em Dezembro. Desta forma, durante todo o ano passado foram contabilizados oficialmente, 580 assaltos a coletivos.

Em importante ressaltar que estes números, compõem as estatísticas das próprias empresas de ônibus que atuam no sistema em São Luís e que denunciaram as ações, registrando boletins de ocorrência. Comparando com 2016, quando foram contabilizados 604 assaltos, é possível observar uma queda no quantitativo destes crimes, ou seja, em 2017 foram 24 assaltos a menos que no ano anterior.

Em relação às localidades que os criminosos praticaram mais assaltos durante todo ano passado destaque para: Centro (em diversos pontos); nos Terminais da Praia Grande e da Cohama, na BR 135 (da saída de São Luís até Estiva); nos bairros do Turu e Angelim e na Avenida Jerônimo de Albuquerque (em diversos pontos).

No decorrer de todo o ano passado, Isaias Castelo Branco, Presidente do Sindicato dos Rodoviários, demonstrou grande preocupação, no que se refere à incidência de assaltos na Grande São Luís. Em diversas ocasiões esteve reunido com representantes das policias civil e militar, alertando sobre a necessidade de desenvolver ações mais eficazes que pudessem combater com mais rigor este tipo de crime na capital.

“Reconhecemos o apoio das policias que juntas, atuaram na tentativa de impedir os assaltos e prender os criminosos, que geram medo não só em quem é usuário do transporte publico, mas também em motoristas e cobradores, que ficam a mercê desta situação e por varias vezes, na mira dos bandidos. Mês a mês, o Sindicato dos Rodoviários, recebe os números fornecidos pelas empresas e repassa para a Polícia Militar, para que eles possam mapear os horários e as áreas, em que os assaltos são mais freqüentes. Nossa parte tem sido feita rigorosamente e tudo que está ao alcance da entidade. Houve uma redução nas estatísticas, mas não há motivos para comemorar. É necessário agir, para que haja um controle mais efetivo e claro, garantir maior tranqüilidade aos usuários e trabalhadores que atuam no sistema”, enfatiza Isaias Castelo Branco, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS