PREMIAÇÃO

O Imparcial leva cinco prêmios no OAB de Jornalismo em Direitos Humanos

A premiação ocorreu na noite desta quarta-feira, 7, e contou com seis categorias, entre profissional e estagiário

A solenidade de entrega do I Prêmio OAB de Jornalismo em Direitos Humanos ocorreu na noite desta quarta-feira, dia 7. E O Imparcial reafirmou mais uma vez seu compromisso com as causas sociais, sendo reconhecido pela comissão da premiação: foram cinco troféus conquistados pelo veículo de comunicação.

Premiação

O Imparcial levou o primeiro lugar na categoria Impresso Profissional, com uma reportagem especial sobre o conflito de terras dos indígenas Gamela, que ocorreu em maio do ano passado. A repórter Patricia Cunha, com 20 anos de profissão e há sete na casa, conta que desde o primeiro contato com a pauta percebeu que o assunto não teria fácil abordagem, mas garante que todas as partes envolvidas foram ouvidas para o melhor entendimento do leitor.

Leia aqui a reportagem completa

“A informação era que no dia 30 de abril de 2017, 15 índios da etnia Gamela foram atacados por pistoleiros ligados aos fazendeiros do povoado Bahias, em Viana. A reportagem abordou o início dos trabalhos de investigação do conflito, bem como relatou o histórico dos índios gamela e a represália frequente a que eles são submetidos por reivindicar a posse da terra onde já vivem”, explica Patricia.

Patricia Cunha recebendo o Prêmio OAB de Jornalismo

A profissional relata, ainda, a sensação de ser reconhecida pela Ordem dos Advogados do Maranhão. “Receber um prêmio desses, depois da minha reportagem ter sido avaliada por uma Comissão formada por especialistas em Direitos humanos, é uma honra. É acreditar que o jornalismo pode dar voz a quem não tem como falar. É acreditar no poder transformador das palavras e contribuir para que a sociedade fique um pouco melhor”, comenta Patricia.

Na categoria Impresso Estagiário, O Imparcial levou, ainda, dois troféus através dos trabalhos do estudante Esaú Araújo, com a série O Gênero da Diversidade (leia aqui).

O webjornalismo de O Imparcial

O jornalismo online de O Imparcial também ganhou destaque no Prêmio OAB de Jornalismo e Direitos Humanos. Sempre priorizando o tratamento responsável acerca dos assuntos abordados e a inovação a partir de formatos, através do portal, da TV Imparcial e redes sociais, o grupo levou os três lugares do pódio na categoria Webjornalismo Estagiário.

Em primeiro lugar, o vídeo produzido por Mivan Gedeon, Fernando Costa e Paulo Malheiros, sobre o caso dos indígenas Gamela. Ocupando a segunda posição, outra produção da TV, sobre o universo LGBT e o enfrentamento ao preconceito. O terceiro lugar ficou entre a matéria da repórter estagiária Juliana Ribeiro, sobre o dia 17 de maio, dia de combate à LGBTfobia.

O Diretor de Fotografia Paulo Malheiros recebeu dois prêmios da categoria Webjornalismo Estagiário, em nome da TV Imparcial

“Em tempos de fake news, quando o jornalismo está sendo utilizado de maneira incorreta por alguns, é muito importante incentivos como o do Prêmio de Jornalismo da OAB, pois incentiva ao sério e compromissado. A realização das matérias foi, antes de tudo, de aprendizado. O trabalho da TV é contar histórias, e de cada uma que ouvimos tiramos uma lição. Lidar com Direitos humanos é entender, aprender, respeitar o outro”, comenta o produtor da TV Imparcial e ganhador do prêmio, Fernando Costa.

Leia: Os avanços e desafios da população LGBT neste 17 de maio

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS