É CARNAVAL!

Cuidados na folia: dicas de saúde e segurança para os foliões

O governo do estado orienta os foliões para evitar perigos indesejados durante a festividade carnavalesca

Reprodução

Com a temporada de diversão no período do carnaval, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), orienta os foliões para os perigos com o consumo de álcool e drogas, segurança e prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs).

O Centro de Assistência Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD Estadual) promoveu, nesta sexta-feira, 9, uma roda de conversa para orientação para o período de carnaval com usuários do serviço.
Participaram o delegado titular do 1º Distrito Policial de São Luís, Joviano Furtado; juíza da 2ª Vara Especial de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, Lucia Helena Heluy; gestora da Secretaria de Estado da Mulher, Erica Araújo; e enfermeiras do Caps AD Estadual.

“As pessoas acham que o carnaval é um período de diversão associado ao consumo, principalmente, de álcool. Mas sempre orientamos que a população evite o consumo exagerado de bebidas. E se o fizer, de maneira alguma, dirija algum veículo. Evite situações que lhe tragam prejuízos após este período”, disse o diretor do Centro de Assistência Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD Estadual), Marcelo Costa.

O Caps AD Estadual, que oferece tratamento para dependentes químicos, funcionará no período carnavalesco das 8h às 18h. Já o Hospital Nina Rodrigues funcionará normalmente 24 horas para atendimento de casos de emergências psiquiátricas.

Para aqueles que não abrem mão de consumir alguma bebida alcoólica, Marcelo Costa aconselha a não proceder de forma ininterrupta. “Não consuma álcool sem ter se alimentado, intercale com o consumo de água e o faça de forma fracionada e com moderação”, orienta. Para os que estão em estado de tratamento de dependência, a orientação de Marcelo Costa é se manter longe da exposição.

Um usuário, que está em tratamento contra dependência de crack há seis meses disse que nem aumentava o consumo no período do carnaval porque já era consumidor diário e compulsivo. “Mas, a euforia aumentava, sim. Hoje, o carnaval não faz mais sentido para mim, mas minha cura é diária”, afirma.

Prevenção das ISTs

Período propício também às paqueras, no carnaval é preciso ficar atento à prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). De acordo com a enfermeira Marileide Mendes, do Caps AD Estadual, as ISTs são evitadas, na maioria dos casos, com o uso do preservativo e cuidados com a higienização.

“Relação sexual precisa ser feita com segurança, com uso de preservativo. Visualmente não tem como saber o que a outra pessoa tem. Muitas doenças não apresentam sintomas aparentes, então é preciso ter a proteção da camisinha. Se você for para o carnaval com a intenção de fazer sexo, leve sua camisinha ou receba em algum posto de distribuição. Isso vale para homens e mulheres”, frisa a enfermeira.

Combate ao assédio

A técnica da Secretaria de Estado da Mulher, Érica Araújo, destacou a campanha do Governo do Estado de combate ao assédio sexual que tem como tema “Não tô a fim. Sem permissão, não toque em mim”. Ela lembrou que as rodinhas para beijar as mulheres forçadamente e puxões de cabelo são assédios graves. “Qualquer ato em que a mulher não consente é assédio. Só quem tem permissão para tocá-la é quem ela permitir. A mulher é dona do seu próprio corpo”.

A juíza Lucia Helena Heluy ressaltou que os homens, em especial, precisam estar atentos ao comportamento em relação às mulheres. “O fato de a mulher estar no carnaval desacompanhada, com roupa curta, não implica dizer de ela está disponível, que é permitido pegar nela. Mas no momento que ela disser não é não. Se o homem avançar, pode haver caracterização de crime ou contravenção penal”.

Segurança

O delegado Joviano Furtado disse que disse que a população deve adotar algumas medidas para poder brincar no carnaval em segurança. “Ideal é evitar levar valores grandes, cordões de ouro, relógios. Se for levar algum documento, que seja uma cópia e manter a carteira no bolso da frente”, orienta. Ele indica, também, andar em grupos maiores e evitar transitar em ruas desertas.

Quem for para os pontos de folia com veículo próprio, não estacionar em ruas desertas e escuras, tampouco deixar objetos de valor no interior do veículo. “Existe uma nova prática que é o bloqueador das travas. Ao sair do caso, se certifique que o carro realmente travou as portas”, orienta Joviano Furtado.

Saúde e segurança no carnaval 

– Não abuse das bebidas alcoólicas

– Não use drogas ilícitas

– Se beber, não dirija

– Beba bastante água e alimente-se bem

– Use camisinha

– Não se automedique

– Respeite as mulheres e só faça o que ela permitir

– Só leve para a folia valores que irá usar

– Não use joias, relógios ou objetos de valor

– Evite passar por ruas desertas

– Ande sempre em grupos maiores

– Leve uma cópia plastificada de um documento de identificação

– Não deixe objetos de valor dentro de veículos

– Certifique-se que as travas do veículo foram acionadas

MOSTRAR MAIS