MERCADO

Walmart fecha mais uma loja Bompreço em São Luís

O grupo Walmart, que pode receber investimentos de fundos estrangeiros para acelerar expansão da rede com a participação de Amazon, Alibaba e JD, confirmou o fechamento da loja Bompreço da Cohab

Bompreço Cohab. (Fotos: Divulgação)

A notícia de que três fundos estariam em negociação para ficar com metade da operação do Walmart no Brasil provocou inquietação no varejo brasileiro. Isso porque o movimento do terceiro maior grupo com atuação nesse mercado poderia resultar em efeitos colaterais para os concorrentes diretos. Agências de notícias publicaram que o Walmart estaria em negociação com outras corporações estrangeiras com possibilidade de vender 50% de sua operação no Brasil. Procurados, Walmart e as outras empresas negaram a negociação.

Para o ramo do varejo, a entrada de investidores no Walmart pode resultar no repasse de fundos a um novo grupo, ainda sem negócios no Brasil. Essa seria a porta de entrada necessária para que grandes operadores internacionais do varejo on-line se estabeleçam no país. Entre as empresas que poderiam buscar esse tipo de negócio, estariam gigantes como Amazon, Alibaba e a JD, que já é parceira da operação de internet do Walmart na China.

Nesse caso, segundo especialistas, o papel dos fundos seria acelerar o crescimento do Walmart no Brasil para tornar o negócio mais atraente a investidores estrangeiros, e aumentar a competitividade em relação aos demais concorrentes Carrefour e GPA. A negociação também afetaria o Maranhão, onde o Walmart detém quatro supermercados em São Luís e dois no interior. Nos últimos anos, o grupo vem fechando lojas em todo o país. Na capital maranhense, o mais recente estabelecimento a encerrar atividade será o do bairro da Cohab. Assim, as unidades restantes poderiam passar a novos grupos se concretizada transferência de fundos.

Em setembro do ano passado, o empresário Ilson Mateus alertou para a possibilidade do grupo Mateus competir com empresas de vendas on-line, interessadas em vendas presenciais e foco no mercado maranhense para expansão pelo Brasil. Na ocasião, citou a Alibaba, maior rede do varejo na China, e Carrefour, que já atua com o Atacadão, em São Luís.

Presença do Walmart no Maranhão

Há poucos dias, começou a circular em grupos de mensagens instantâneas a informação sobre o fechamento de lojas do Bompreço e Hiper Bompreço, anunciando dessa forma ofertas e descontos. A assessoria de imprensa do grupo Walmart, no entanto, confirmou à nossa reportagem o fechamento no Maranhão apenas da loja localizada no bairro da Cohab, em São Luís. O encerramento das atividades do Bompreço da Cohab ocorrerá até o fim deste mês de janeiro. O grupo informou que vai oferecer aos funcionários oportunidade de transferência para as outras seis lojas da rede no estado.

Operando há 80 anos no Nordeste, a rede de supermercados Bompreço conta com 59 lojas presentes em todos os estados da região. No Maranhão, Walmart atua com as bandeiras do Bompreço, Hiper Bompreço e TodoDia.

Em São Luís, com o fechamento da unidade da Cohab, restarão quatro lojas do grupo, as localizadas no São Francisco, Centro, Olho d’Água e São Luís Shopping.

No interior do estado, o grupo mantém o mercado TodoDia na cidade de Vargem Grande e o supermercado TodoDia em Itapecuru-Mirim. No estado, Walmart já teve seis lojas da bandeira TodoDia.

Apesar de já contabilizar o fechamento de seis lojas do Bompreço em São Luís, incluindo a da Cohab, desde que assumiu o controle da rede em 2004, o grupo Walmart afirma que, em todo o Brasil, está investindo cerca de R$ 1,5 bilhão ao longo dos próximos três anos no projeto de transformação dos hipermercados e supermercados da rede.

Em 2002, o grupo Lusitana vendeu as lojas localizadas na Avenida Colares Moreira (São Francisco), Rua de Santana (Centro), Alameda do Ourique (Centro), Avenida Guaxenduba (Centro), Avenida dos Franceses (Alemanha), Olho d’Água, Cohama e Cohab para a rede Bompreço, à época pertencente ao grupo pernambucano Paes Mendonça, que dois anos depois passou a pertencer ao grupo Walmart.

Sob alegação de crise financeira, a primeira loja do Bompreço sob a gestão Walmart a fechar as portas em São Luís foi a da Avenida dos Franceses, na Alemanha, em abril de 2006. Pelo mesmo motivo, a loja da Rua de Santana foi desativada em setembro de 2006.

As duas lojas do Bompreço (hiper e supermercado) instaladas no Lusitana Shopping, na Cohama, foram fechadas em maio de 2007.

O Bompreço localizado na Alameda do Ourique, em frente à antiga Embratel, no Centro, fechou as portas em dezembro de 2015. Na ocasião, houve queima de estoque de produtos perecíveis, com desconto de até 50%. Muitos consumidores aproveitaram para fazer compras no local.

MOSTRAR MAIS