Descontos

Prévia do Black Friday impulsiona comércio na capital

Tanto nas lojas físicas, quanto no comércio eletrônico, a expectativa é de aumento nas vendas para o período, que é considerado o segundo mais importante do setor em um ano

Apesar de o evento ocorrer apenas na sexta, 24, muitas lojas aproveitam para aquecer já no início da semana. Foto: Honório Moreira

A recuperação gradual do comércio da capital ao longo do ano tem motivado as lojas do varejo a apostarem em ações promocionais com a Black Friday, que neste ano acontece no dia 24 de novembro, para movimentar o estoque e inaugurar a temporada de compras de Natal.

Antecipando-se ao dia da Black Friday, tanto as lojas do comércio da Rua Grande, no Centro de São Luís, quanto às lojas dos shoppings da capital, estilizaram suas vitrines com propagandas para atrair os consumidores para as ofertas que durarão a semana toda. As vitrines expõem ofertas que variam de 30% a 70% de desconto. Algumas também diferenciam as promoções entre compras à vista e a prazo.

A maioria dos estabelecimentos utiliza a data promocional para zerar o estoque de produtos de coleções anteriores. Então, quem está esperando a oportunidade para adquirir bens de valores mais acentuados como peças do vestuário, acessórios como joias e relógio e eletroeletrônicos pode conseguir descontos significativos.

Uma loja de moda, localizada no São Luís Shopping, iniciou a promoção para a Black Friday na segunda-feira, 20, oferecendo descontos de 30% a 60%. As ofertas se estendem até o próximo domingo, 26.

Segundo a vendedora Lilliane Dourado Alves, promoções como as da Black Friday sempre atraem um fluxo maior de clientes. “As pessoas vêm conferir as peças, já trazem a lista de compras e aproveitam as ofertas para comprar o presente de Natal. Acreditamos que o movimento aumente ainda mais até o fim de semana”, relata.

Já no Tropical Shopping, na Avenida Colares Moreira, uma das lojas de confecções oferece artigos de antigas coleções a preços que variam de R$ 9,90 a R$ 99,90. Segundo a vendedora, as promoções certamente impulsionam as vendas.

“Nossa promoção da Black Friday se iniciou ainda na sexta-feira, e isso tem atraído o cliente para dentro da loja, aumentado as vendas. Até o fim da promoção, esperamos vender muito mais”, aposta Carliane da Conceição de Jesus.

Para os consumidores, o período é aguardado com expectativa e receio. Eles não abrem mão de pesquisar e conferir se as ofertas anunciadas são realmente vantajosas.

“Eu estou à procura de um relógio para mim e outro para presente que tenham preços razoáveis. É o segundo shopping que frequento hoje, atrás desses artigos. Busco descontos de verdade”, conta João Miguel Silveira, contador, de 42 anos.

Na loja visitada pelo consumidor, que oferece relógios, CDs e DVDs, os produtos pesquisados por ele estavam com descontos de 60% à vista e 50% no cartão de crédito, parcelado em 10 vezes.

“Para mim, parece uma oferta aceitável. Vou continuar pesquisando. Mas há grande chance de eu voltar aqui e comprar os dois relógios”, conclui Silveira.

Comércio eletrônico

Na internet, sites de empresas de diversos segmentos, principalmente as gigantes do e-commerce, se prepararam para alcançar os melhores valores para atender às expectativas e preferências dos consumidores durante a Black Friday. A maioria dos sites, além dos descontos na compra dos produtos, oferece frete grátis.

A Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) espera que o setor movimente um total de cerca de R$ 2,5 bilhões. Caso o número realmente se confirme, ele representará um aumento de 18% em relação ao ano anterior.

Somente em São Luís, a previsão é que o volume total de compras ultrapasse R$ 9 milhões. A estimativa foi gerada a partir do histórico das edições anteriores e com base no tráfego do portal blackfriday.com.br, idealizador da ação no Brasil.

Um levantamento feito pelo Serasa Consumidor apontou que três em cada dez brasileiros pretendem comprar nesta Black Friday. Desse total, 90% acreditam que devem conseguir bons descontos na data.

O estudo revela ainda que 79% costumam pesquisar o histórico de preço antes de fechar a compra. Eletrodomésticos são os itens mais desejados pelos consumidores, com 37% da preferência, seguido por roupas, calçados e acessórios (21%), telefonia (18%), informática (14%), viagens (6%). Outros itens, como material de construção, brinquedos, entre outros, totalizam 5%.  A maior parte (41%) pretende gastar acima R$ 1.000 nas compras durante a Black Friday, enquanto 28% aponta gasto entre R$ 201 e R$ 999. Os consumidores que pretendem gastar entre R$ 101 e R$ 200 totalizam 11%, e 12% optam por valores entre R$ 51 e R$ 100. Apenas 5% afirmam ter intenção de gastar até R$ 50.

Dos entrevistados, 72% disseram que pretendem comprar em loja física, 27% pela internet e 1% não soube responder. Cerca de 30% das vendas no varejo anual ocorrem entre Black Friday e Natal. Pontos como organização, preparo da infraestrutura, descontos reais, segurança e boas estratégias de marketing são centrais para tirar o melhor proveito desta ocasião.

MOSTRAR MAIS