Entrevista

“Cada um pode ter o sucesso que espera”, diz Sara Meireles

Um bate-papo com a maranhense que participou do “The Voice Brasil” e representou muito bem, diga-se de passagem, o nosso estado

Foto: Divulgação

Ter um disco assinado por uma gravadora nacional e conseguir viver financeiramente somente através da música é o sonho de milhares de brasileiros. Mas, para chegar nesse patamar de grandes fenômenos e digamos “cair” no gosto popular, precisa-se percorrer uma estrada longa.

Não é fácil colocar, por exemplo, 5 mil pagantes em um evento nos dias de hoje, mas pode ser possível. Talvez esse seja um dos grandes sonhos da maranhense Sara Meireles, que participou do “The Voice Brasil” e representou muito bem, diga-se de passagem, o nosso estado.

Tivemos um bate-papo para entender melhor sobre os seus projetos, após a saída do programa e como vem lidando com a repercussão do público nas ruas. Mas, claro, nada é fácil, tudo precisa ser analisado e não ter passo errado, pois isso pode prejudicar todo o trabalho.

Sara no palco do The Voice Brasil.

Sara tem uma boa história para contar e se define de uma forma bem simples. “Uma pessoa cheia de sonhos e desejos. Muito mais determinada e cheia de coragem”. Talvez seja esse o caminho de um novo fenômeno, e esse nome, com certeza, ainda vamos ouvir muito por aí.

Como foi o processo de inscrição?
Eu mesma me inscrevi, mandei um vídeo, que foi avaliado. Após isso, participei de diversas seletivas antes de chegar ao palco para as audições às cegas.

Fora dos palcos, o que fazes?
Bom… eu sou enfermeira e trabalho em um negócio da família. Divido meu tempo entre esses afazeres e a música.

Passou quanto tempo no programa e como foram as gravações?
O processo seletivo é um tanto demorado… eu viajei para Recife em maio, para audição regional. E, então, à medida que eu passava pelos processos eu ia para o Rio, ensaiava, gravava e voltava. Cheguei a me apresentar duas vezes no palco.

Qual foi a maior experiência?
Sem dúvidas, estar no The Voice tem sido a maior experiência da minha vida. Subir no palco e estar diante de um dos maiores artistas brasileiros não é fácil.

Se inscreveria de novo?
Se isso fosse possível, sim. No entanto, eu já cheguei a uma fase do programa onde isso não será mais possível. Mas eu creio que muito mais coisas boas estão por vir.

Como é o apoio da sua família em relação à música?
Eles me apoiam demais, até mais do que eu esperava. No começo, enquanto eu ainda fazia faculdade, eles queriam que eu me formasse logo. Eles tinham medo que eu largasse a faculdade antes do previsto. Mas segui o curso e o curso da vida e aqui estou.

Teve medo?
Sim. Medo da reação das pessoas que estavam criando muita expectativa em mim e eu talvez não pudesse suprir isso. Mas foi bem no começo. Hoje eu já estou superbem e feliz demais. Estar naquele palco, chegar ali não é fácil e eu consegui, tinha medo de não passar (mas quem não ficaria né?). Mas tudo foi bem, além do que eu esperava.

Qual seu maior sonho hoje? E quais os projetos agora?
Eu quero aproveitar todas as oportunidades que o programa me proporcionou. Quero manter o meu canal no YouTube e investir cada vez mais. Muita coisa na minha vida veio sem que eu esperasse… e eu soube aproveitar e vou continuar fazendo isso.

Existe receita para o sucesso?
Cada um pode ter o sucesso que espera, mas acredito que não tenha uma receita para isso. Cada pessoa tem o seu jeito, seus planos e projetos. Nem todo mundo chegará lá do mesmo jeito. Mas o que com certeza não pode faltar é determinação acima de tudo e humildade.

O que aprendeu de mais valioso até aqui?
Que nunca devemos duvidar do nosso potencial, jamais devemos nos colocar para baixo. Às vezes, somos bem melhores do que acreditamos ser, só precisamos enxergar o mais profundo dentro de nós mesmos.

Um lugar em São Luís que mais gosta?
Eu amo a companhia dos amigos. Então, não importa onde seja, eu sempre vou estar bem e feliz e vai ser o meu lugar preferido.

Nas horas livres, o que prefere fazer?
Dormir. É uma resposta válida, não é? Kkk. Eu amo comer. Então, sempre que posso, paro para lanchar. Amo cinema também.

MOSTRAR MAIS