Previsão

Edital do concurso da Aged/MA deve sair este mês

O certame, que deveria sair em setembro, passa por últimos ajustes que estão sendo feitos entre o órgão e a banca organizadora; A previsão é que haja vagas para os níveis técnico e superior

Reprodução

Inicialmente previsto para ser publicado em setembro, o edital do novo concurso público da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged/MA) ainda depende de alguns ajustes finais, que estão sendo feitos em conjunto com a banca organizadora, a Fundação Carlos Chagas. A expectativa é de que a liberação ocorra nos próximos dias, ainda em outubro.  Ao todo serão oferecidas 173 vagas, distribuídas por diversos cargos.

A seleção vem sendo aguardada desde novembro de 2014, quando foi liberada a autorização pela Secretaria de Planejamento. Porém, o certame foi suspenso, em 2015, em decorrência do processo de contenção de gastos em virtude da crise econômica.

Os preparativos da seleção foram retomados em  maio de 2016, quando o governador Flávio Dino, anunciou, por meio de rede social, a nova autorização para o certame. “Autorizei agora  a realização de concurso público para analista ambiental e para a Aged. Provas ainda este ano”, publicou o governador, na ocasião, fato que acabou não se concretizando.

O novo aval comtempla 173 oportunidades, para quem possui ensino médio e nível superior.  As remunerações ainda serão confirmadas, mas especula-se que os vencimentos cheguem aos R$ 7 mil.

Das vagas

Do total autorizado em 2014, 25 oportunidades foram para a carreira de fiscal agropecuário, sendo 20 veterinários e cinco agrônomos; 75 assistentes de fiscalização – técnicos agrícolas, 75 auxiliares de fiscalização nível médio, um contador, um advogado, um jornalista e um profissional de tecnologia da informação.

Em entrevista a O Imparcial, o diretor da Aged no Maranhão, Sebastião Anchieta Filho, confirmou que o edital deve contemplar vagas para auxiliar, assistente e fiscal agropecuário.

O concurso é um dos últimos compromissos pendentes assumidos pelo governo com o Ministério da Agricultura,Pecuária e Abastecimento (Mapa), no Plano de Ampliação da Zona Livre de Febre Aftosa, concluído em maio de 2014, quando o Maranhão e outros seis estados nordestinos e o Pará, foram reconhecidos pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como zona livre de febre aftosa.

MOSTRAR MAIS