Atividade física

Prática de Pole Dance traz benefícios para corpo e mente

Muito mais que uma dança sensual, a atividade fortalece diversos grupos musculares e auxilia no equilíbrio da mente; veja os benefícios!

Kellen Ramalho, além de instrutora de pole dance, é funcionária pública, historiadora, estudante de Educação Física e mãe. Foto: reprodução.

Kellen Ramalho, além de instrutora de pole dance, é funcionária pública, historiadora, estudante de Educação Física e mãe. Foto: reprodução.

Quer experimentar um esporte que aumenta a resistência física, tonifica grupos musculares do corpo, auxilia no alongamento e na coordenação motora? Talvez o pole dance seja a atividade indicada. Por muito tempo estigmatizado por ser associado às casas noturnas, o pole dance tem se reafirmado cada vez mais como uma alternativa fitness e ganhado adeptos – entre mulheres e homens, de todos os tipos físicos – na ilha.

“O pole dance é um esporte que trabalha todo o corpo, o que ajuda muito no fortalecimento e na definição muscular, ajuda no ganho de alongamento e em questões como coordenação motora. Mas para mim o maior ganho é para mente, a aceitação do seu próprio corpo e o entendimento que é um esporte desafiador e de superação, a capacidade de se reinventar a cada movimento e de se reconhecer como um ser humano forte e cheio de possibilidades”, explica a instrutora de pole dance Kellen Ramalho.

A prática possui diversas vertentes. Dentre elas, tanto a prática esportiva quanto aquela voltada à sensualidade. “Em ambos acobracia e dança estão envolvidos, o que exige muita força, dança, leveza e treino. Ambos são lindos e ajudam na expressão e no reconhecimento de cada um com a vertente que mais se identifica”, pontua Kellen.

As aulas incluem giros e acrobacias ao redor de uma barra vertical. Uma dos grandes benefícios da prática é que o corpo inteiro é fortalecido de uma vez só, com destaque para os músculos dos braços e do abdomem. O pole dance proporciona, ainda, a queima rápida de calorias, aumento da flexibilidade e elevação da autoestima.

Esqueça tudo que sabe sobre pole dance

Muita gente, ao pensar na prática do pole dance, imagina logo de cara um cenário que remete às casas noturnas e danças sensuais. Um equívoco, apontam os praticantes. Aos 31 anos, Kellen Ramalho pratica pole dance desde 2013, quando estava num tratamento de síndrome do pânico, e hoje é sócia do estúdio Pole4Fit, localizada na Av. dos Holandeses. A pole dancer, que é também funcionária pública, historiadora, estudante de Educação Física e mãe, revela que ainda há muito preconceito com a atividade. “[Mas] quem experimenta de cara se apaixona, entende que o uso de um vestuário específico (roupas de treino curtas) se faz necessário para que possamos fazer travas, entende que o corpo passa a ser apenas um elemento, porque a execução do movimento está refletindo uma superação pessoal”, explica a pole dancer, frisando que a única forma de combater o preconceito é a informação.

“Sempre estamos dispostos a mostrar e a conversar sobre esse esporte lindo, a cada dia a prática está ganhando mais espaço e mais repercussão, porque os poledancers se mostram sempre apaixonados e pessoas focadas e disciplinadas no dia a dia, o pole dance fortalece de dentro pra fora, primeiro nos empoderamos internamente e depois o mundo começa a ver as diferenças no nosso o corpo, o primeiro de todos é o nosso sorriso e assim seguimos combatendo qualquer forma de preconceito contra nosso esporte lindo”, finaliza Kellen.

MOSTRAR MAIS