Vendas

Consórcio de automóveis cresce 165% em São Luís

Número referente ao primeiro semestre de 2017 reflete mudança no setor. O consórcio de imóveis teve um aumento de 100% no mesmo período

A aquisição de cartas de crédito para o consórcio de automóveis, imóveis e motos se mostra cada vez mais, uma forma segura para a construção de patrimônio dos brasileiros, já que muitas pessoas ainda não têm o hábito e a disciplina de poupar mensalmente. No primeiro semestre de 2017 a venda de consórcios cresceu 8,4% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC). O número do crédito comercializado foi de R$ 43,92 bilhões, uma alta de 23,7%.

Em São Luís (MA), o Consórcio Saga , empresa associada à BR Consórcios, registrou aumento de 165% nas vendas de consórcios de automóveis no primeiro semestre de 2017, na comparação com o mesmo período de 2016. A categoria de imóveis também teve bom desempenho no período e obteve um aumento de 100%. No geral, o Consórcio Saga registrou um aumento de vendas de 157% no período.

O diretor do Consórcio Saga, Mario Roquette, explica que o sistema de consórcio exerce a função de um disciplinador financeiro, pois ao adquirir uma cota de imóvel ou automóvel, por exemplo, é uma forma do brasileiro “poupar”, todos os meses, com o objetivo de adquirir um determinado bem ou serviço para a construção do seu patrimônio.

O diretor comenta que costuma ouvir as pessoas afirmarem que tentam poupar mensalmente para adquirir um bem ou serviço. Porém, na prática, o que ocorre na maioria das vezes, é que no decorrer dos meses surgem situações novas e esse recurso é destinado a outras finalidades. “No consórcio, assim que for contemplado, e isso pode ocorrer a qualquer momento, o cliente poderá utilizar o recurso total desejado para a aquisição do bem, mesmo sem ainda ter pago integralmente o valor total. Um outro ponto importante dessa disciplina é que ele não pode retirar o recurso investido para outros fins, ou seja, o consórcio é seu protetor de conquistas”, finaliza Roquette.

MOSTRAR MAIS