Produção audiovisual

Animações serão exibidas no 10º Maranhão na Tela

A lenda da carruagem encantada de Ana Jansen e a guerra da Balaiada, produzidas pela Dupla Criação, marcam presença no festival

Beto Nicácio e Iramir Araújo.

Beto Nicácio e Iramir Araújo.

Episódios que marcaram a história do Maranhão que inspiraram as animações A pequena história da lenda de Ana Jansen e Balaiada, a guerra do Maranhão, produzidas pela Dupla Criação, estarão na programação do 10º Maranhão na Tela. O evento vai até o dia 26, no Centro de Criatividade Odylo Costa, filho, no Centro de São Luís. Os curtas animados serão exibidos quarta-feira (23), a partir das 18h, no Teatro Alcione Nazareth.

A primeira animação conta a lenda da carruagem encantada de Ana Jansen, que é uma das mais populares de São Luís. Ana Jansen, mulher rica, poderosa e, segundo alguns, muito malvada com seus escravos, teria sido condenada a pagar seus pecados vagando eternamente pelas ruas da cidade numa carruagem puxada por cavalos que expelem fogo pelos pescoços decapitados. A carruagem sai do Cemitério do Gavião, em noites de quinta para sexta-feira, conduzindo Ana Jansen, que oferece uma vela acesa aos infelizes que encontra pela frente. Já Balaiada, a guerra do Maranhão narra o fato marcante ocorrido no dia 13 de dezembro, no então povoado Vila da Manga, interior do Maranhão, quando Raimundo Gomes Jutahy, um vaqueiro incapaz de aceitar a injustiça cometida contra seu irmão e seu povo, mobilizou alguns companheiros e bateu de frente contra o poder instituído à época. Dera início a um dos maiores movimentos populares pela liberdade no estado, a Balaiada.

No mercado de publicidade há 17 anos, a Dupla Criação começou a incluir animações em sua cartela de serviços há cinco, e vem buscando se firmar nesta área, produzindo animações dos mais diversos gêneros. Nos últimos anos, a Dupla Criação tem investido na produção de animações, como é o caso de A Ponte e Upaon-Açu, Saint Louis e São Luís, este dois produzidos em parceria com a Guarnicê Produções; e Joca e a Estrela, baseada no conto A Estrelinha Aparecida, de Lenita Estrela de Sá; A pequena história da lenda de Ana Jansen e Balaiada, a guerra do Maranhão, com o patrocínio da Alcoa. Confira a entrevista concedida a O Imparcial pelos ilustradores e animadores da Dupla Criação, Iramir Araújo e Beto Nicácio.

Sete perguntas para Beto Nicácio e Iramir Araújo

1 – Como surgiu a ideia de retratar histórias do Maranhão em animações?
Sempre consideramos o Maranhão como um cenário extraordinário para a criação de histórias, tanto em quadrinhos, quanto de animação. Já vimos, há algum tempo, fazendo quadrinhos que têm o Maranhão e suas histórias como centro, como tema e motivação para trabalharmos nossos projetos.

2 – Vocês também estão trabalhando com outras temáticas. Fale um pouco sobre estas inspirações…
Tudo pode ser motivo para se contar uma história. Lendas, o cotidiano, fantasias, biografias… A principal qualidade que um animador, um artista deve ter é despir-se de preconceitos quanto ao que vai trabalhar. Obviamente deve prevalecer o bom senso em perceber o que pode ser bem aceito ou não, o que pode chocar ou mesmo agredir os seus espectadores e a sociedade.

3 – Qual foi o trabalho que levou mais tempo para ser produzido. Houve alguma dificuldade? Se sim, fale um pouco sobre isso…
Cada trabalho, por suas características, pede um tipo de envolvimento e, consequentemente, leva mais ou menos tempo para ser feito. O trabalho que estamos fazendo atualmente está levando mais tempo devido à sua complexidade, ao estilo que está sendo feito e, principalmente, às expectativas que temos a respeito dele e que desejamos satisfazer, para que o público receba um produto de excelente qualidade e, principalmente, se veja nele como algo que remeta a suas memórias, vividas ou inventadas.

4 – Fale um pouco sobre a questão do incentivo por meio de patrocínios e editais. Como vocês analisam esta questão?
Em um país que se diz capitalista, mas que o capital só circula no meio de uma elite cada vez mais reduzida e concentradora, os patrocínios e editais são ferramentas necessárias e fundamentais para que a produção artística possa, pelo menos, pôr a cabeça acima do nível da água. O problema é que, remando contra a maré mundial, de países que investem pesadamente em educação e cultura como condição sine que non para o seu desenvolvimento, a elite brasileira, de forma maldosa, insiste em manter o povo analfabeto e aculturado.

5 – Quais os festivais de cinema que vocês já participaram?
Participamos dos Festival Maranhão na Tela, Guarnicê e Maranime e fomos premiados no Guarnicê. Neste ano, temos dois curtas selecionados no Maranhão na Tela: A pequena história das Lenda de Ana Jansen e Balaiada.

6 – Quais os próximos projetos da Dupla Criação na área de animação?
Estamos trabalhando em uma animação baseada em álbum de quadrinhos de Beto Nicácio. Esse projeto, chamado Terra santa, terra maldita, foi selecionado no edital do governo do estado e está em plena execução.

7 – Deixem uma mensagem para quem quer seguir esta profissão.
Empenho. Se você quer ser animador, desenhista, diretor de animação, respire animação. Desenhe, veja desenhos animados, discuta e estude sobre o assunto.

MOSTRAR MAIS