Entrevista O Imparcial

Caso Elísio pode ser concluído nos próximos meses

O Imparcial realizou uma entrevista exclusiva com o Promotor do Idoso José Augusto Cutrim Gomes para esclarecer alguns pontos do caso que chocou a população

Promotor do Idoso José Augusto Cutrim Gomes. Foto: Esaú Araújo.

Promotor do Idoso José Augusto Cutrim Gomes. Foto: Esaú Araújo.

O caso de Roberto Elísio Coutinho de Freitas, de 50 anos, que agrediu a própria mãe, Joseth Coutinho Martins, de 84 anos, poderá ser concluído nos próximos meses. O crime foi descoberto após a divulgação dos vídeos de maus-tratos nas redes sociais. No mesmo dia da divulgação dos vídeos, Elísio foi preso e encaminhado para a cadeia. O Imparcial realizou uma entrevista exclusiva com o Promotor do Idoso José Augusto Cutrim Gomes para esclarecer alguns pontos do caso que chocou a população.

O Imparcial entrou em contato com Advogado de Elísio, Antônio Ferreira. Porém, ele se recusou a dar entrevista e prefere se resguardar no momento. Segundo ele, a pedido dos familiares e de Elísio ele não tem autorização para dar qualquer informação. “Depois do julgamento você pode entrar em contato comigo, mas até agora prefiro me resguardar”, disse.

Confira a entrevista:

IM: A mãe de Elísio está sobre a guarda de quem?
José Augusto: Do seu neto, filho de Roberto Elísio. Desde o ocorrido, o maior será o responsável legal da mesma arcando todas as necessidades dela. Atualmente, a senhora Joseth Coutinho está recebendo todos os cuidados médicos, uma vez que, além da vítima da agressão, é portadora de Alzheimer.

IM: Como anda o processo de Elísio?
José Augusto: Assim que foi tomada a ciência do caso e a prisão do mesmo, nós oferecemos a denúncia contra o agressor por maus-tratos, por tomar posse do dinheiro da idosa e também pela prática de tortura, que segue na 8° Vara Criminal. A defesa se manifestou essa semana apresentando algumas testemunhas de Elísio. Agora, o réu passará por exames de sanidade mental. Após o resultado dos exames, será marcado o julgamento. Nos próximos dias o caso será resolvido.

IM: Roberto se encontra em cela individual ou comunitária?
José Augusto: Ele até agora permanece em uma cela individual, sistema penitenciário regional, em razão do perigo que ele corre, uma vez ter feito de vítima a própria mãe. Elísio também é Bacharel em Direito

IM: Há confirmação de que ele fazia empréstimos na conta da mãe?
José Augusto: Sim! A conta da senhora está negativada. Depois do estado de saúde fragilizada de sua mãe e do fato de ser filho único, deixou de trabalhar e passou a apropriar-se dos benefícios salariais da idosa, dando-lhes aplicação diversa ao não os destinar aos cuidados da vítima. Na conta da vítima consta um saldo negativo de R$ 11.397,30, no mês de junho de 2016. Já no ano de 2017, o saldo negativou para R$ 21.724,42, tudo em decorrência dos empréstimos realizados.

IM: Há possibilidade de Roberto Elisio ser solto?
José Augusto: Sempre há. Porém, no juízo de primeiro grau, ele vai continuar preso. Só estamos dependendo da defesa. Nos próximos dias, há possibilidades de acontecer o julgamento do caso. Mas, pedimos que a população confie no nosso trabalho que estamos batalhando por todos os casos

IM: O caso de Elísio é algo incomum na capital maranhense?
O caso de Roberto é mais um de muitos. Diariamente, atendemos inúmeros casos na capital maranhense. Só em São Luís existem mais de 1000 casos de maus-tratos com o idoso, seja ele por agressão, desvio financeiro dos idosos, sexual e vários outros. E estamos todo dia buscando soluções para esses casos.

Entenda o caso

Na noite do dia 25 de maio deste ano, vídeos de um homem, até então não identificado, começaram a circular nas redes. Nas gravações, foram flagradas agressões físicas e verbais e ameaças contra uma idosa de 84 anos. O homem foi identificado, posteriormente, como Roberto Elísio Coutinho. Ele proferiu ameaças como: “se tu abrir a boca de novo eu vou dar na tua cara e dou na tua cabeça pra tu desmaiar” e “nem pra tu morrer logo, né?”. Roberto ainda aparece no vídeo ameaçando a mãe com um espremedor de alho e uma pequena barra de ferro.

Após autoridades da capital maranhense tomarem ciência do caso, de imediato foram tomadas as providências cabíveis. A juíza Oriana Gomes, da 8ª Vara Criminal de São Luís, decretou a prisão preventiva de Roberto por agressão e maus-tratos à idosa. Em diligência, a guarnição, junto aos delegados responsáveis por investigar o crime, foram à residência de Roberto, mas não o encontraram. Em questões de minutos, a polícia recebeu informações do paradeiro dele. Ele foi capturado em Raposa, cidade da região metropolitana de São Luís, na casa de membros da família e depois encaminhado à sede da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA), onde foi interrogado pela delegada Igliana Freitas. Junto com Roberto chegou a sua mulher, responsável pelas gravações dos vídeos e outros familiares. Logo após, foi encaminhado ao sistema prisionário regional, onde permanece em cela individual.

MOSTRAR MAIS