Investigação

Quatro pessoas presas na Operação Turing

Os blogueiros Luis Cardoso, Luis Pablo e Hilton Ferreira Neto, além do policial federal Danilo dos Santos Silva foram presos temporariamente. Além disso, cinco outros blogueiros foram conduzidos coercitivamente

Honório Moreira

Blogueiro Luís Cardoso

Segundo a decisão do juiz federal da 2ª Vara, Magno Linhares, quatro pedidos de prisão temporária foram expedidos e cumpridos pela Polícia Federal na Operação Turing. Os presos são os blogueiros Luis Assis Cardoso da Silva de Almeida (Luis Cardoso), Luis Pablo Conceição Almeida e Hilton Ferreira Neto, além do policial federal Danilo dos Santos Silva.

Os quatro foram conduzidos para o quartel do Corpo de Bombeiros, onde devem permanecer durante os cinco dias da prisão.

Blogueiro Neto Ferreira

Além deles, foram autorizadas pelo juiz as condições coercitivas de cinco pessoas: Antonio Marcelo Rodrigues da Silva (Minard), Yuri dos Santos Almeida, Marcelo Augusto Gomes Vieira, Antonio Martins Filho e Ezequiel Martins da Conceição (Kiel).

Segundo a Polícia Federal, Danilo Silva era responsável pelo vazamento das informações sigilosas

Blogueiro Luís Pablo

de operações, além de ser beneficiado por publicações positivas, o que permitia publicidade para o agente da PF. Ele foi exonerado há exatos 12 dias do cargo de secretário-adjunto da Administração, Logística e Inovação Penitenciária, da Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap).

Como agia o grupo

O grupo agia cobrando uma quantia das vítimas pelo silêncio ou retirada dos nomes das matérias dos blogs, e o valor variava entre R$ 1.500 e R$ 10.000, de acordo com o poder econômico ou gravidade das informações. Além disso, há um caso específico cujo valor ultrapassou este limite e chegou próximo ao preço de um veículo 0km.

Interceptações telefônicas apontam a intenção do grupo em adulterar, especular, e perseguir figuras através dos blogs para induzi-los a pagar por “tranquilidade” e, em alguns casos, mudança editorial para enaltecimento positivo dos alvos da extorsão.

Os blogueiros atuavam em conjunto havendo um rateio de atividades entre os membros do grupo. Um ou dois começavam postagens negativas e outros contrabalançavam, abrindo a “possibilidade de aproximação” junto ao dono das postagens. Após a extorsão, os valores eram rateados entre os participantes.

Segundo o delegado federal Max Eduardo Ribeiro, os indícios apontam Luís Cardoso como líder do grupo, a quem cabia a operacionalização e, nos casos de empresários mais poderosos ou políticos de grande vulto, as postagens e extorsão.

Somente um empresário registrou BO contra a prática, no ano de 2013, mas a perseguição não apenas não sessou, quanto foi ainda mais ferrenha.

Participação da PF

O policial federal Danilo dos Santos Silva foi cooptado pelo grupo para vazamento de informações em troca de apoio político nas eleições de 2014. No caso, ele era enaltecido pelos blogueiros em questão, como uma forma de recompensa.

A primeira evidência da parceria se deu na Operação Lilliput, quando houve indícios de vazamento de informações de dentro da  Polícia Federal. Fato também observado na Operação Sermão Aos Peixes

No uso de suas atividades profissionais na PF, Danilo se utilizou da estrutura da instituição para se apropriar de informações sob sigilo da justiça para repassá-las ao grupo, que, em vez de utilizá-la para fins jornalísticos, facilitava o embaraço das investigações, garantindo assim uso privilegiado de informações pelos alvos de operações, atrapalhando o trabalho da polícia.

Lista de presos temporários:

  •  Luis Assis Cardoso da Silva de Almeira – blogueiro
  •  Luis Pablo Conceição Almeida – blogueiro
  • Hilton Ferreira Neto – blogueiro
  • Danilo dos Santos Silva – policial federal

Lista de conduzidos coercitivamente:

  • Antonio Marcelo Rodrigues da Silva (Minard) – blogueiro
  • Yuri dos Santos Almeida – blogueiro
  • Marcelo Augusto Gomes Vieira – blogueiro
  • Antonio Martins Filho – blogueiro
  • Ezequiel Martins da Conceição (Kiel) – blogueiro
MOSTRAR MAIS