Início da temporada

Sinal amarelo para os times maranhenses

Sem convencer no Campeonato Maranhense e Copa do Nordeste, Sampaio e Moto tem sequência decisiva logo no início da temporada de 2017

Reprodução

Foram apenas dois jogos, mas o sinal de alerta está ligado para Moto Club e Sampaio Corrêa, os representantes maranhenses em competições nacionais no primeiro semestre de 2017. Os dois clubes somaram apenas quatro pontos em quatro jogos disputados na temporada

A situação do Papão é a que mais preocupa os torcedores. O atual campeão estadual estreou no Maranhense com uma derrota surpreendente contra o Cordino por 2 a 1 em Barra do Corda e não passou de um empate com o Altos pela Copa do Nordeste em pleno Castelão.

O técnico Ruy Scarpino, um dos grandes destaques da boa temporada de 2016, já concedeu entrevistas como se estivesse ameaçado no cargo. Além disso, o treinador ainda não conseguiu organizar o esquema tático da equipe como no ano passado.

Após o jogo, onde a equipe do Moto Club saiu vaiada pela torcida, ele admitiu as deficiências do time e cobrou uma maior interação entre meio-campo e ataque. “Nossos volantes precisam jogar. O futebol é coletivo. Não adianta também ter três homens de qualidade na frente se não houver aproximação dos homens do meio”, explicou.

O pouco tempo de treinamento, foram apenas 19 dias entre o início da pré-temporada e a estreia em Barra do Corda, e a mudança das características do elenco são pontos importantes para o começo lento do Moto Club.

E para piorar, após o confronto deste domingo (29) com o Americano, o time enfrenta Bahia fora de casa e o São Paulo no Castelão em sequência pela Copa do Nordeste e Copa do Brasil. São três jogos por três competições diferentes, mas que devem nortear o que o Moto Club pode almejar no primeiro semestre de 2017.

No Sampaio, por sua vez, o problema é a expectativa da torcida. Com quatro boas temporadas entre 2012 e 2015, o torcedor tricolor se acostumou com uma boa equipe, mas após o rebaixamento do ano passado, a diretoria do clube fez poucos investimentos e montou um time mais “maranhense”.

A estreia com vitória contra o Santa Quitéria foi abaixo do esperado, pois o Sampaio não dominou totalmente o adversário como era esperado e chegou a dar sustos aos presentes no Castelão.

Contra o Sport, na Ilha do Retiro, a derrota foi um resultado normal. E a equipe comandada por Vinícius Saldanha chegou a demonstrar um certo padrão tático e apostou nos contra-ataques e por pouco não surpreendeu o adversário em Recife, mas o sistema defensivo ainda deixou muito a desejar.

Saldanha terá uma semana para corrigir erros e montar a equipe para enfrentar o São José na quarta-feira (1º) pelo Campeonato Maranhense, mas serão três jogos em oito dias para o Tricolor, que ainda enfrenta o River (4/2) no Castelão pela Copa do Nordeste e o São José-RS (9/2) pela Copa do Brasil no Rio Grande do Sul.

Assim como o Moto Club, estes três jogos podem ser determinantes para as pretensões do Sampaio no primeiro semestre de 2017, apesar da situação confortável atual. Historicamente, diretoria e torcida tricolor não perdoam uma sequência de maus resultados para nenhum treinador.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS