Escola

Histórias de quem passou pela redação de O Imparcial

Quem passou pela redação de O Imparcial tem nessa uma rica experiência e base para a formação profissional.

Foto: Arquivo/O Imparcial.


Arquivo/O Imparcial

Jornalista Aline Louise

Quem passou pela redação de O Imparcial tem nessa uma rica experiência e base para a formação profissional. 
Atualmente assessora do governador Flávio Dino, a jornalista Aline Louise teve em O Imparcial sua primeira experiência na área. Onde também cobriu sua primeira eleição, em 2010, e, a partir daí colecionou conhecimento e amigos.
Sempre ligada à política, iniciou na editoria de Cidades, hoje Urbano, mas logo foi destacada para aquela que era sua paixão: Política. Nesta editoria permaneceu até sua saída, em 2012. Dos editores aos repórteres, ela aponta a importância de cada um para sua vida profissional.
“São parte da minha formação, que continua acontecendo”, relata.
Foto: Arquivo Pessoal.


Arquivo Pessoal

Suzana Beckman, jornalista

A jornalista e coordenadora da assessoria da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Suzana Beckmam, iniciou no matutino e diz que “foi a primeira grande escola de jornalismo”. A faculdade, diz ela, ensina a fazer o lead e as regras básicas de apuração.

“Mas, quando a gente chega na redação descobre não saber muito. Sorte que tive uma escola e tanto”. Suzana se sentiu acolhida pelos colegas, sempre dispostos a ensinar, e estimulada a crescer. No início, ainda aprendendo o oficio, os textos não eram lapidados. “O que eu fazia sempre voltava e lá eu ia, tristinha, escrever tudo novamente”, relembra. “O Imparcial foi uma experiência da qual lembro com infinito carinho”, conclui.
Permaneceu na casa de 2006 a 2010, e foi repórter, chefe de reportagem e editora.
“Tenho grandes amigos no jornal até hoje e este foi a minha maior escola de jornalismo”, disse o jornalista Clodoaldo Correa. Ele trabalhou no matutino durante sete anos e exerceu função de repórter e editor do site, até migrar para a editoria de Política, no impresso.
Clodoaldo diz ter adquirido maturidade profissional com o aprendizado das técnicas de apuração e redação, seguidos à risca pelo jornal. “Tive que lidar com a rigorosidade das pautas, dos horários e da exigência para levar uma melhor informação ao leitor. Agradeço as cobranças que ajudaram a moldar o profissional que me tornei”, conclui.
Foto: Arquivo Pessoal.


Arquivo Pessoal

Luis Pedro, jornalista

Repórter, chefe de reportagem, gerente industrial, editor de diversos cadernos, editor geral, redator do Departamento Comercial e editor de edições comemorativas/especiais. Foram três décadas trabalhando e convivendo no matutino – entre 1971 e 1997. O jornalista e atual diretor adjunto de Comunicação da Assembleia Legislativa, Luís Pedro passou por todos os setores tornando-se conhecedor da dinâmica e logística do fazer notícia diariamente.

“Aprendi muito no convívio com os colegas e tive o privilégio de passar um pouco deste aprendizado”, relata, lembrando a época em que era coordenador de Estágio do curso de Comunicação Social da UFMA. Uma história que marcou sua trajetória profissional e experiência para uma vida. “Lembro com saudade desse convívio, e, sinceramente, começaria tudo outra vez”.
VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias