AGRONEGÓCIO

Produtores rurais do Maranhão são alternativa para diminuir pobreza

Segundo Embrapa, agropecuária no Nordeste é chave para melhorar a economia da região; um plano de desenvolvimento será encaminhado ao Ministério da Agricultura

(Foto: Michael Gäbler / Wikimedia Commons)

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) quer mudar a realidade da baixa produção de riquezas no Nordeste investindo em produtores rurais e no desenvolvimento da agropecuária.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas, o Maranhão é o estado com a menor média de rendimento real domiciliar do Nordeste: R$ 710. Outros cinco estados da região figuram na lista dos dez mais pobres do Brasil pelo critério do Produto Interno Bruto: Sergipe, Piauí, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte.

É com este pano de fundo que a Embrapa encaminhará um plano de ação e desenvolvimento agropecuário para a região à futura ministra da Agropecuária, Pesca e Abastecimento, Tereza Cristina. Durante o dia inteiro de amanhã (12), representantes das oito unidades da Embrapa no Nordeste estarão reunidos para produzir projetos de inovação tecnológica no setor.

No mês passado, o Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos divulgou estimativa de produção agrícola deste ano no Maranhão. Segundo a avaliação, baseada no período de outubro de 2018, a produção de grãos está estimada em 4.461 mil toneladas, com crescimento de 0,8% em comparação com a safra de 2017.

VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS