NEGÓCIOS

Raimundo Sousa, presidente eleito do Sebrae, visita Grupo O Imparcial

Participaram da conversa o futuro presidente do Sebrae e presidente da FAEMA/SENAR, Raimundo Coelho Sousa, e o presidente do Grupo O Imparcial, Pedro Freire, e o diretor de redação, Raimundo Borges

Reprodução

Crise, Agricultura, incentivo ao micro e pequeno empresário, empreendedorismo na escola. Esses foram alguns dos temas de um bate papo bastante descontraído aconteceu na sede do Grupo O Imparcial na última sexta-feira (7). Participaram da conversa o futuro presidente do Sebrae e presidente da FAEMA/SENAR, Raimundo Coelho Sousa, e o presidente do Grupo O Imparcial, Pedro Freire, e o diretor de redação, Raimundo Borges.

O empresário e produtor rural, Raimundo Coelho recentemente foi eleito como presidente do Conselho Deliberativo do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Maranhão (Sebrae-MA). Esta é a primeira vez que um representante da agropecuária vai presidir a entidade. Raimundo também é presidente da FAEMA/SENAR.

Defensor da produção primária, Raimundo Coelho, acredita que neste no momento de crise é necessário “buscar alternativas de desonerar o pequeno e apoiar tecnicamente o pequeno empresário”. Segundo ele, o Sebrae tem o papel de assegurar assistência ao pequeno empresário. Indagado pelo jornalista Raimundo Borges sobre há uma tentativa de retirar recursos do Sistema S, em especial o Sebrae, Coelho responde que “houve tentativa mas não conseguiu”.

Sobre o futuro governo, o presidente eleito do Sebrae afirma que havia um discurso de “abrir a caixa preta do Sistema S”, fazendo uma alusão a uma fala do futuro Ministro da Fazenda, Paulo Guedes. Porém, ele afirma que Guedes já deu demonstração de mudar o direcionamento do discurso. E ainda afirma que o discurso de Paulo Guedes agora caminha para um “discurso que sempre gostaríamos que acontecesse”.

Sobre o relacionamento com um “governo comunista”, se a bandeira partidária do governador interfere na relação com Sebrae, Coelho garantiu que a cor da bandeira do governador não interfere em nada com o trato com o Sebrae. “Não afeta em nada. O que pesa é a visão do governante, dos secretários. São as pessoas”, garantiu.

A reportagem indagou Raimundo Coelho sobre quando é o melhor momento para inserir a cultura empreendedora na vida das pessoas. Ele citou o programa do Sebrae que prepara professores e alunos para ter uma visão empreendedora. Segundo Coelho, o programa capacita os professores para aplicar um ensino transversal. Os professores aplicam o empreendedorismo em todas as matérias. No final do período, os alunos apresentam um trabalho, citando um projeto de algum empreendimento que os alunos querem aplicar no futuro.

A posse da nova mesa diretora acontece em janeiro de 2019.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias