ECONOMIA

São Luís tem redução de 1,25% no custo da cesta básica em novembro

O conjunto de itens que compõem a cesta básica apresentou queda na capital nos últimos quatro meses. Os ludovicenses pagaram R$ 333,14 pela cesta em novembro, o menor valor do ano

Foto: Reprodução

O custo da cesta básica da capital maranhense iniciou o segundo semestre de 2017 com alta, mas vem apresentando queda nos meses de agosto a novembro. No mês de novembro, os ludovicenses pagaram R$ 333,14 pelo conjunto de alimentos essenciais.

São Luís apresentou o quinto menor valor entre 21 capitais que tiveram os preços pesquisados pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A capital maranhense vem mantendo há quatro meses a mesma posição entre as cidades pesquisadas. A variação nos onze meses foi de -6,44%.

No mês passado, o custo da cesta em São Luís comprometeu 38,65% do salário mínimo líquido do trabalhador.

Em novembro de 2017, o tempo médio necessário para adquirir os produtos da cesta básica em São Luís foi de 78 horas e 13 minutos, menor que o de outubro, quando ficou em 79 horas e 13 minutos. Quando se compara o custo da cesta e o salário mínimo líquido, ou seja, após o desconto referente à Previdência Social, verifica-se que o trabalhador remunerado pelo piso nacional comprometeu, em novembro, 38,65% do salário mínimo para adquirir os mesmos produtos que, em outubro, demandavam 39,14%.

Acumulado

Ao longo do ano, São Luís vem se mantendo abaixo da média nacional em relação ao valor da cesta básica. No acumulado do ano, o custo da cesta de alimentos apresentou queda de 6,44%. Em doze meses, a comparação cai para 10,31%. Os ludovicenses, ao longo do ano, tiveram acesso a itens mais em conta que em outras capitais, variando entre 3ª e 9ª posições no país. A posição mais elevada foi no mês de julho. A menor foi nos meses de abril e maio, quando a capital maranhense apresentou o terceiro menor custo da cesta básica.

Banana, tomate, açúcar e feijão influenciam na queda

Nas capitais pesquisadas, houve predominância de queda nos preços da banana, açúcar, tomate e feijão. Em São Luís, a banana teve queda de 0,59%. O feijão apresentou recuo de 1,38 %. O açúcar teve queda de 0,39% e o tomate presentou recuo de 8,94% no preço.

Em novembro, o preço da banana diminuiu em 17 das 21 capitais onde é pesquisada. O preço médio da fruta é uma média ponderada entre a banana prata e a nanica (caturra). Os percentuais oscilaram entre -14,54%, em Belo Horizonte, e -0,59%, em São Luís.

As altas foram anotadas em Vitória (0,28%), Aracaju (0,37%), Goiânia (4,44%) e Campo Grande (7,29%). A oferta elevada da fruta em outubro e início de novembro, devido às altas temperaturas, reduziu o preço no varejo. O preço do feijão caiu em 15 cidades. O do tipo carioquinha, pesquisado nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, em Belo Horizonte e em São Paulo, aumentou em Maceió (0,86%), ficou estável em Campo Grande e Cuiabá e teve queda nas demais localidades onde é pesquisado: as taxas variaram entre -11,53%, em Belém, e -1,38%, em São Luís.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS