OPINIÃO

O que esperar do Sampaio Corrêa em 2018?

Por que o Sampaio cresce de produção diante dos clubes que disputam as Copas do Brasil e Nordeste, mas no Campeonato Maranhense ainda não ganhou um clássico?

Reprodução

Amigos, lembram-se ainda do que dissemos aqui na última coluna? O campeonato permanece embolado e a classificação para a segunda fase (semifinal) segue indefinida. Isso tem um nome: equilíbrio. Faltam ainda duas rodadas para terminar esta etapa, e o único que está fora é o Santa Quitéria, apesar de matematicamente ainda ter chances de fazer seis pontos e chegar a oito. O BEC, que não faz boa campanha, pode até chegar a nove, mesmo total de pontos que tem hoje o Moto, segundo colocado. É claro que tudo depende de uma combinação de resultados, dos quais, algumas autênticas “zebras”, mas dificilmente o time de Bacabal emplacará.

A grande pergunta que fica no ar é a seguinte: Por que o Sampaio cresce de produção diante dos clubes que disputam as Copas do Brasil e Nordeste, mas no Campeonato Maranhense ainda não ganhou um clássico? E mais: Por que dominou e ganhou merecidamente de duas equipes da Série A do Brasileirão (Ceará e Paraná), mas só fez um ponto dos nove que disputou no Estadual, em três clássicos. O melhor resultado ainda foi o empate com o Moto, uma equipe que ainda nem havia adquirido o entrosamento necessário para um compromisso tão difícil.

Hoje, o Sampaio está fora do G4 e tem dois jogos contra adversários teoricamente mais fracos, porém, valentes, que certamente também querem uma vaga na semifinal. A saída é ganhar um e pelo menos empatar o outro. Se não conseguir, vai depender do fracasso dos demais concorrentes em seus próximos compromissos.

Pensando bem, a campanha do Tricolor até parece um pouco com a do ano passado, quando só se classificou no tapetão, aproveitando-se de uma interpretação confusa do regulamento, após um grande vacilo do Moto, que vencia o Superclássico e teve um jogador expulso de campo.

É claro que hoje o Sampaio tem uma equipe bem mais estruturada e futebol suficiente para garantir sua classificação. O que atrapalha, segundo sua comissão técnica, é a maratona de jogos nas três competições que o time participa. O cansaço afeta o rendimento de vários jogadores, notadamente aqueles que se movimentam mais em campo durante os 90 minutos.

Nesta semana, o Moto corre sério risco de perder de um a três pontos no TJD, devido a um recurso apresentado exatamente pelo grande rival, mas talvez nem precise disso para garantir vaga no G4. E se o Sampaio precisar?

Imaginem como será o clima das duas últimas rodadas do Estadual. O que se espera é que não seja necessário outra vez deixarem a bomba nas mãos daqueles que compõem o nosso TJD. Se bem que o papel dos seus integrantes (advogados de notável saber jurídico na área esportiva) é simplesmente fazer justiça. Vamos aguardar mais um pouco, pra ver o que vai dar.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS