Diversidade & Inclusão do Nubank

A maranhense Vitor Martins será uma das palestrantes do RD Hostel 2021

O RD Hostel, que espera atrair 100 mil participantes de todo o país, está com inscrições abertas

Reprodução

O tema Diversidade e Inclusão (D&I) é muito mais que uma pauta corporativa. A sociedade do século XXI exige práticas efetivas referentes a essas questões. E esse é um dos propósitos de Vitor Martins, especialista em Diversidade & Inclusão do Nubank, palestrante do RD Hostel 2021.

O RD Hostel, que espera atrair 100 mil participantes de todo o país, está com inscrições abertas. Totalmente online e, pela primeira vez, gratuito, o evento acontecerá nos dias 20 e 21 de outubro. As inscrições podem ser feitas em https://rd.social/hostelpr

Trata-se de uma oportunidade única para pessoas de todo o país aprimorarem seus conhecimentos com os maiores experts nos temas mais relevantes da atualidade.  Os inscritos receberão certificado de participação, o que pode fazer a diferença para os interessados em trabalhar ou se recolocar na área.

No seu perfil no LinkedIn, Vitor Martins se reconhece como preta e nordestina e diz que seu objetivo é conscientizar e auxiliar gestores e RHs para práticas mais inclusivas nos ambientes corporativos. Nascida na capital do Maranhão, administradora pela Fundação Getúlio Vargas/SOCIESC, psicóloga em formação e mestranda em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), ela estuda as “Estratégias de enfrentamento ao racismo implementadas por empresas privadas no Brasil”. 

O foco de seu trabalho está na conscientização e na instrumentalização de profissionais em relação a ações que promovam a inclusão. Atua como consultora em empresas com a responsabilidade de realizar gerenciamento de crise, apoiar o posicionamento da marca em favor da diversidade, colocar em prática planos de igualdade racial, além de sistematizar programas de educação para equipes.

Em sua trajetória profissional, Martins já colaborou como estagiária da RD Station, onde foi responsável pela criação, implementação e gerenciamento do Plano de Igualdade Racial, além do desenvolvimento dos 10 compromissos do Fórum LGBTQIA+, a qual a RD Station é signatária.

Entrevista com Vitor Martins

Na sua opinião, qual a importância da diversidade e inclusão nas empresas?

Elas fazem com que as organizações comecem a entender a sua responsabilidade no enfrentamento destas estruturas que hierarquizam as pessoas em posições diferentes. Não é um processo natural, é impulsionado, principalmente, pelos movimentos sociais, pois requerem que as empresas adotem posturas que contribuam para este processo de superação das desigualdades.

Nos EUA, especialmente o movimento negro e o movimento de mulheres requerem a inserção dessa população no mercado de trabalho formal. No final do século XX, estudos vão articular diversidade e inclusão à lucratividade, à criatividade e à inovação para mostrar a importância da diversidade nas organizações.

No final há dois destaques, social e corporativo: a contribuição da empresa à sociedade para a superação de desigualdades e a aceleração de processos de inovação.

Quais os benefícios em relação aos negócios, retenção dos colaboradores e sucesso da empresa?

Vários. O impacto é na estrutura da organização como um todo: execução de processos, criação de produtos, a inovação dentro da companhia e fora da companhia. Temos um processo de criação muito maior. Vários estudos no campo da psicologia que corroboram para a perspectiva da diversidade e criatividade.

Um dos estudiosos de grupos bem importante foi o Pichon Rivière, que chegou a conclusão de que grupos homogêneos eram menos criativos do que grupos heterogêneos. Então, começamos a ter várias evidências nos campos de ensino de grupo e relações grupais para entender a importância de grupos heterogêneos.

Além da criatividade, aumentamos o senso de inclusão e pertencimento das pessoas e, consequentemente, quando criamos um espaço de segurança e bem-estar, as pessoas permanecem mais tempo na organização e obviamente isso impacta, por exemplo, o custo com folha [de pagamento].

A perspectiva do trabalho, processos e times na empresa também muda com a diversidade e inclusão. A que me refiro? Talvez, a gente sempre tenha pensado em carreira e desenvolvimento a partir de uma lógica de pessoas brancas ou um padrão masculino. Incluir essas pessoas: mulheres, pessoas negras, pessoas com deficiência contribui com outras perspectivas de carreira, mais inclusivas.

Afinal, as empresas que adotam uma política de D&I são mais inovadoras?

Sim. Um estudo da McKinsey, um dos mais expoentes, mostra dados de diversidade e inclusão relacionados ao aumento da lucratividade bruta. Outros, nos EUA e Canadá mostram o impacto na inovação. São estudos super importantes, pois toda organização quer aumentar sua receita e precisamos mostrar com dados como a diversidade e inclusão impactam no negócio.

Quais os critérios uma empresa deve observar para entender se é ou não diversa?

Existem vários. Um deles é a diversidade em termos numéricos: eu tenho 100 pessoas e 1 pessoa é negra. Você não tem diversidade. A representatividade está relacionada a números, quando observamos os dados populacionais da sociedade: Brasil – 52% de mulheres, 52.6% de pessoas negras e 23% de pessoas com deficiência. Como esses marcadores estão distribuídos dentro da sua companhia? Esse é um ponto importante.

Outro ponto: como as pessoas estão distribuídas na organização? Um bom exemplo é o caso da Magazine Luiza, que veio a público dizer: temos mais de 50% dos nossos colaboradores negros, mas apenas 16% deles em cargos de liderança. Então, nosso objetivo é mudar isso. Esse é outro indicador: onde as mulheres, pessoas negras, pessoas com deficiência estão na sua empresa? Todos são analistas júnior, estagiários? É provável que tenha algo de errado.

Por fim, quando a empresa se comunica com o cliente e internamente, do ponto de vista de personas diversas ou do homem branco, cis e hétero? Quem são os porta-vozes nas reuniões gerais? Quem tem visibilidade dentro da companhia?

Você acredita que hoje em dia existam empresas com ‘diversidade de fachada’? Como identificá-las?

Sim, muitas. Inclusive, tem uma expressão sobre isso que se chama Diversity Washing, ou o uso da pauta da diversidade e inclusão nas empresas, mas sem necessariamente implicar uma mudança na estrutura organizacional. Há empresas utilizam disso como o fazem com a perspectiva da sustentabilidade.

Diversidade e inclusão não é pauta, precisa ser uma prática. Esta é uma das minhas frases mais conhecidas no mercado.

Para mim, as formas de identificá-las são muito específicas, pois uma empresa de fachada se vende muito bem. Acho que a forma de identificá-las é conversando com pessoas de dentro da companhia. Eu, Vitor, com certeza procuraria uma pessoa, puxaria uma conversa mesmo que não conheça ninguém, faria perguntas sobre isso, sem comprometer a imagem desta pessoa, sem expor nem nada.

E também utilizo os canais de buscas sobre empresas, né? Acho que o Glassdoor é uma ótima referência para buscar  como a empresa está avaliada. Observar as  redes sociais da companhia também, mas com ressalvas, porque se ela pratica Diversity Washing, provavelmente suas  redes serão muito diversas e representativas.

O que é o RD Hostel?

O RD Hostel é o principal ponto de encontro do ecossistema de Marketing, Vendas e Inovação. Realizado pela RD Station, serão quatro eventos temáticos durante quatro meses, com mais de 120 palestrantes, 100 mil participantes e 60 horas de conteúdos totalmente gratuitos. Profissionais e marcas que são destaque no mercado serão presença nesta temporada, trazendo o que há de melhor para o planejamento das empresas até o fim do ano. O evento principal acontece nos dias 20 e 21 de outubro, e grandes nomes como o escritor best seller Daniel Pink, Martha Gabriel, Joe Pulizzi, Elise Mitchell, John Hamm, Eric Santos, Camila Renaux, Bia Granja, Nina Silva, entre outros, estão confirmados. Inscrições abertas em https://rd.social/hostelpr

A RD Station é líder no desenvolvimento de software (SaaS) voltado para o crescimento de médias e pequenas empresas. Seus dois produtos – RD Station Marketing e RD Station CRM – somam 30.000 clientes em mais de 20 países. Possui uma divisão de conteúdo, mídia e educação para clientes e parceiros, em que estão os sites Resultados Digitais e Agência de Resultados, e mais de 700 funcionários em toda a América Latina.

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias