CORONAVÍRUS

No Maranhão

7903
193530
185663
4305
CASADOS PELA QUARENTENA

Conheça casais que passaram a morar juntos por causa do isolamento social

Para não morrerem de saudade, casais de namorados aceleraram o “sim”. Especialistas comentam.

Diversos casais de namorados resolveram passar o isolamento social juntos. Foto: Divulgação

Quando o governo decretou quarentena, diversos casais de namorados decidiram dar um passo importante na relação: passar o isolamento social juntos, mergulhando de cabeça no amor e na experiência de um quase casamento.

“Desde o início do nosso relacionamento mantemos uma dinâmica por meio de chamadas de vídeo, mas a saudade era grande demais. Por isso, assim que decretaram quarentena, ele foi para o Maranhão ficar comigo, mas acabou que teve que voltar, e foi aí que eu decidi passar mais um tempo com ele. Agora estou aqui até as minhas aulas retornarem”, conta a estudante de Comunicação Social, Rafaelle Santos, 22, que decidiu sair de São Luís e embarcar para São Paulo, cidade onde mora o namorado Rafael Dias, 27. “A quarentena tem nos mostrado que a nossa relação está muito sólida”, afirma a jovem que namora à distância há sete meses.

Rafaelle decidiu sair de São Luís e ir para São Paulo encontrar o namorado Rafael

E foi essa vontade de fortalecer a relação e de se conhecer ainda mais que levou o casal Vanessa de Moraes, 31, e Eduardo Hadade, 34, a escolher passar o isolamento juntos. Eles namoravam havia apenas 1 mês quando foi decretada a quarentena, e agora têm vivido um momento de adaptação e de planejamento pós-pandemia.

“A experiência tem sido ótima para que a gente tenha mais certeza  do que queremos, pois com a convivência, estamos mais fortalecidos e adaptados um com as manias do outro”, analisa a publicitária que já percebe os efeitos do tempo que estão passando juntos. “Nossa decisão foi tomada a partir de uma curiosidade, mas como tem sido um ótimo período, já estamos nos preparando para sairmos do apartamento e irmos para uma casa”, planeja Vanessa.

Efeitos no relacionamento

Para a psicóloga Toshimi Passos, essa decisão tomada por diversos casais é algo muito comum na sociedade em que vivemos, mas que durante este período, acaba tomando grande proporções.

Psicóloga Toshimi Passos

“Os relacionamentos amorosos perpassam por um contexto cultural e histórico, se constroem sobre bases diferentes, ou seja, cada relacionamento é único. E durante este período, a pandemia age como uma lente de aumento, nos fazendo perceber ações que são comuns”, explica a psicóloga, ressaltando que como tudo se torna mais intenso e exacerbado, conflitos podem surgir, pois com o convívio diário o casal acaba se conhecendo mais profundamente e as idealizações feitas sobre a pessoa amada vai se perdendo com o passar dos dias.

“É uma nova rotina. Divergências podem surgir, já que esse casal acaba tendo mais contato com os defeitos e mania do outro, o que pode incomodar e gerar um efeito negativo ou positivo, depende do ponto de vista”, afirma Toshimi.

Porém, este período de quase casamento teve o efeito contrário para Alexia Tomásia, 22, e Tayron Ribeiro, 27, que perceberam uma mudança significativa no namoro: o fim das brigas.

O casal Alexia e Tayron

“Tem sido uma experiência interessante, acho que até diminuiu a frequência das discussões, parando para analisar, pois como estamos aprendendo mais um sobre o outro, estamos conseguindo nos entender melhor”, conta a jovem que nem pensa em ficar um tempo separada do namorado após o fim da quarentena. “Não temos pensado muito sobre o depois, mas não temos planos de ficar um tempo sem se ver, acho que já nos acostumamos a ficarmos juntos”, destaca Alexia.

Um momento para dois

Apesar do amor ser fundamental para apreciar a companhia do outro, às vezes passar tanto tempo juntos acaba cansando e transformando o momento romântico em uma situação chata e monótona. E quando isso acontecer, o recomendado é que os pombinhos procurem atividades que possam ser realizadas em parceria, como o caso da Vanessa e do Eduardo, que embarcaram em diversas programações domésticas.

O casal Vanessa e do Eduardo costumam fazer diversas atividades para se divertirem

“No início da quarentena, compramos um quebra-cabeça de cinco mil peças e montamos em dois meses com muita paciência e parceria. Iremos transformá-lo em um quadro para eternizar a construção do nosso relacionamento em meio a uma pandemia”, conta Vanessa.

Porém, tudo que é demais faz mal, e o recomendando é que o casal também saiba dar espaço um para o outro.

“Além de oportunizar o diálogo, o momento também permite que esses casais saibam lidar com o silêncio e com a individualidade do outro. Nem sempre é preciso fazer tudo a dois, às vezes é muito bom cozinhar sozinho, assistir um filme sozinho e curtir a sua própria companhia”, aconselha Toshimi Passos.

O casal Vanessa e Eduardo

Ainda não se sabe quando uma vacina contra a Covid-19 será criada, quando as pessoas poderão voltar a se abraçarem sem receio, mas de uma coisa esses casais têm certeza, depois desse isolamento juntos, nada será como antes.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Esportes
Polícia
Mais Notícias