BASTIDORES

Dúvida cruel

Generosa dúvida toma conta do presente e futuro do pré-candidato Flávio Dino (PCdoB) quanto ao papel que vai escolher como mandato em 2022. Afirmou a pretensão de tentar o cargo de presidente da República, depois negou, agora garante que pode tentar o Palácio do Planalto ou o Congresso Nacional como senador ou deputado federal. Indiscutível que […]

Generosa dúvida toma conta do presente e futuro do pré-candidato Flávio Dino (PCdoB) quanto ao papel que vai escolher como mandato em 2022. Afirmou a pretensão de tentar o cargo de presidente da República, depois negou, agora garante que pode tentar o Palácio do Planalto ou o Congresso Nacional como senador ou deputado federal. Indiscutível que vive o melhor momento como governador, líder político e mordaz crítico na imprensa ao jeito de Bolsonaro (PSL) ser.

Sabe como ninguém aproveitar cada espaço para ocupar o olhar da opinião pública nacional fundamentando uma trajetória que permita sua consolidação como um dos grandes políticos do Brasil. Fala como poucos cada detalhe dos momentos, nunca deixando a salutar capacidade de escutar os que dominam ou dominaram o país. Fato muito criticado.

Evidente que todo cuidado é pouco diante do sórdido jogo do poder, na malícia eleitoral jamais vai existir adversários, todos trucidam os pretendentes como inimigos. Muitos processos precisam ser vivenciados e aceitos no amadurecimento que permita chegar ao sonho de sentar na cadeira presidencial. Saber pagar preços, distanciar da palavra impossível e quebrar em pedaços os discursos de militância aguardam Flávio Dino na conquista da realização maior. 

José Sarney (MDB) viveu a mesma expectativa quando deixou o governo do Maranhão, entendendo a necessidade de ocupar um mandato de senador e garantindo a hegemonia provinciana com o peso de Brasília. Razoável acreditar no cultivo da faixa presidencial para um maranhense, aconteceu uma vez por sorte do destino.

Quanto o Dino vai ter de abençoado pelos deuses ninguém sabe, podem tentar prever no trote da cavalgada rumo ao planalto central. Muitos coices devem acontecer, nada de bonzinho ou bonitinho o espera. Possível que nem ele aguarde isto. Parece nada mudou na vida política, tudo parecido.

Imaginem encontrar a figura de Astro de Ogum (PR) sentando na soleira de um casarão da Rua da Estrela contando de quando menino vendia picolé para salvar o alimento de casa na Praia Grande. Jamais poderia deixar de registrar esta imagem. Fica para história destes personagens da política.

Jair Bolsonaro continua um marqueteiro malandro, todo dia inventa uma polêmica para os bestas cair, mesmo sabendo que não vai cumprir. Filho embaixador soa como piada.

Joselma Ferreira, autônoma, indignada com a proposta do presidente de fazer o filho embaixador dos Estados Unidos.

——————————————————-              

                                                       APARTEANDO

Continua sabendo jogar como profissional o pré-candidato a prefeito de São Luís, Eduardo Braide (PMN). Fica de mal com o governo federal, mas não com o eleitor na questão da previdência.

Sem perder uma chance de tirar uma casquinha levou o deputado Welington do Curso (PSDB) a sair correndo para fazer um vídeo criticando Flávio Dino (PCdoB) na polêmica parada de ônibus da Av. Bernardo Sayão, em Imperatriz.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias