CORONAVÍRUS

No Maranhão

1026
26145
6664
853
APARTE

Colegagem

Ho­mens do po­der man­têm uma es­qui­si­ta e tra­di­ci­o­nal ma­nia de fa­zer um ro­dí­zio pa­ra to­dos con­se­gui­rem sen­tir a sen­sa­ção de sen­tar na ca­dei­ra do go­ver­na­dor. Cons­ti­tu­ci­o­nal o che­fe do exe­cu­ti­vo vi­a­jar pa­ra obri­ga­ções em ou­tros es­ta­dos e paí­ses, nor­mal o vi­ce-go­ver­na­dor as­su­mir as fun­ções to­can­do o dia a dia, es­tra­nho as­sis­tir a en­ge­nha­ria pa­ra os […]

Ho­mens do po­der man­têm uma es­qui­si­ta e tra­di­ci­o­nal ma­nia de fa­zer um ro­dí­zio pa­ra to­dos con­se­gui­rem sen­tir a sen­sa­ção de sen­tar na ca­dei­ra do go­ver­na­dor. Cons­ti­tu­ci­o­nal o che­fe do exe­cu­ti­vo vi­a­jar pa­ra obri­ga­ções em ou­tros es­ta­dos e paí­ses, nor­mal o vi­ce-go­ver­na­dor as­su­mir as fun­ções to­can­do o dia a dia, es­tra­nho as­sis­tir a en­ge­nha­ria pa­ra os pre­si­den­tes do le­gis­la­ti­vo e ju­di­ciá­rio con­se­gui­rem ba­ter uma fo­to pa­ra a pos­te­ri­da­de e, quem sa­be, uma vi­si­ta ao mu­ni­cí­pio de nas­ci­men­to su­prin­do a vai­da­de do fi­lho da ter­ra che­gar ao to­po da pi­râ­mi­de. De vez em quan­do dei­xam uma obra pa­ra ser inau­gu­ra­da. As­sis­ti­mos mais uma gra­ci­o­sa ho­me­na­gem ao pre­si­den­te do Tri­bu­nal de Jus­ti­ça do Ma­ra­nhão com Flá­vio Di­no (PC­doB), Car­los Bran­dão (PRB) e Othe­li­no Ne­to (PC­doB) afi­ve­lan­do su­as ma­las, per­mi­tin­do ao Jo­sé Jo­a­quim des­fi­lar com seus sa­pa­tos re­lu­zen­tes de ver­niz pe­los cor­re­do­res do Pa­lá­cio dos Leões. Na­da mu­dou nes­ses di­as fes­ti­vos de bei­ja-mão, so­men­te um ge­ne­ro­so pai mos­tran­do ao fi­lho e de­pu­ta­do es­ta­du­al, ca­ri­nho­sa­men­te cha­ma­do de Pa­rá, que um dia po­de des­fi­lar com a fai­xa de lí­der de to­dos nós. Es­tá lon­ge de acon­te­cer, pri­mei­ro o re­ben­to pre­ci­sa tra­ba­lhar e mos­trar a ra­zão de ter si­do elei­to pe­lo ge­ni­tor com a for­ça da to­ga. Se­rá que um dia vai mu­dar es­ta co­le­ga­gem sem sen­ti­do ne­nhum pa­ra a po­pu­la­ção?

Quem ima­gi­na­ria as­sis­tir a har­mo­nia en­tre o gru­po Sarney e Di­no pe­lo Ma­ra­nhão. De­pois do ge­ne­ro­so en­con­tro en­tre os dois lí­de­res po­lí­ti­co nin­guém es­cu­ta nem um ros­na­do dos opo­si­to­res e, mui­to me­nos, uma crí­ti­ca no sis­te­ma de co­mu­ni­ca­ção. In­clu­si­ve in­cluí­ram a can­to­ra Al­ci­o­ne no pa­co­te do bem con­vi­ver. Que di­ria o pa­dre Antô­nio Vi­ei­ra se vi­vo es­ti­ves­se?

Nin­guém de­ve ter com­bi­na­do, es­tra­te­gi­ca­men­te Bol­so­na­ro (PSL) e Di­no (PC­doB) des­co­bri­ram que o ran­ger dos den­tes em pú­bli­co fa­vo­re­ce a am­bos não per­mi­tin­do a en­tra­da de ter­cei­ros na cor­ri­da pre­si­den­ci­al de 2022. Ima­gi­na se o Jair quer dei­xar o Ser­gio Mo­ro rou­bar a ce­na ou Flá­vio as­sis­tir o Ci­ro (PDT) ga­nhar vo­lu­me elei­to­ral.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Notícia Boa
Checamos
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias