Brumadinho

Depois de fala polêmica, Va­le de­sau­to­ri­za ad­vo­ga­do

O advogado da companhia, Sérgio Bermudes, um dos maiores entendidos dessa área, veio a público para revelar que a Vale não é responsável pelo rompimento da barragem

Em meio à tragédia provocada pelo rompimento da barragem de contenção de rejeitos de Brumadinho (MG), a mineradora Vale não cogita afastar a diretoria. O advogado da companhia, Sérgio Bermudes, um dos maiores entendidos dessa área, veio a público para revelar a visão sobre a situação, que preocupa até a ONU: A Vale não é responsável pelo rompimento da barragem e a direção da empresa não se afastará de seu comando “em hipótese alguma”.

A jornalista Mônica Bergamo (Folha de S. Paulo), escreveu que o advogado afirmou que “a Vale não enxerga razões determinantes de sua responsabilidade. Não houve negligência, imprudência, imperícia”. Já o presidente interino Hamilton Mourão entrou na polêmica. Revelou que o gabinete de crise criado pelo Palácio do Planalto estuda a possibilidade de afastamento da diretoria da Vale. Assim, com uma segunda tragédia social e ambiental de forte repercussão mundial, Minas Gerais vive entre lindas paisagens, choros, prejuízos e escavadeiras e embrenhada em um mar de contradição – mesmo sem ter mar. Marcada pelo orgulho de suas montanhas, Minas não consegue se tornar menos dependente de um eixo econômico e histórico que persiste em destruí-las. A mineração, paradoxalmente, representa quase 10% do PIB do Estado.

A exploração mineral responde por mais da metade da produção de metálicos do país. Por ano, cerca de 300 municípios mineradores despejam no mercado quase 200 milhões de toneladas de minério de ferro. Segundo o jornal espanhol El País, os lucros, porém, camuflam uma realidade de risco constante no plano socioambiental. De acordo com o Banco de Dados de Barragens da Fundação Estadual do Meio Ambiente (FEAM), Minas possui 698 barragens de rejeitos minerais, sendo que duas dezenas delas estavam sem estabilidade garantida – a do Feijão, em Brumadinho. Porém, em situação regular.

Em nota, a Vale desautoriza o advogado Sérgio Bermudes a falar em nome da organização ou no seu próprio sobre a tragédia. Afirma que seu mandato não o autoriza a dar quaisquer declarações sobre a empresa. E acrescenta: “A Vale volta a ressaltar, de forma enfática, que permanecerá contribuindo com todas as investigações para a apuração dos fatos e que esse é o foco da sua diretoria, juntamente com o apoio incondicional às famílias atingidas. A Vale reitera o compromisso de reparação total dos impactos decorrentes do rompimento”. É aguardar os desdobramentos.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias