Cristianizado

À proporção que a campanha se aproxima da eleição, os candidatos a qualquer cargo estão virando cabritos. Pulam cerca, furam acordo e seguem o modus operandi “salve-se quem puder”. É a política da “Cristianização” operando a todo vapor. Ela se deu em 1950, quando o candidato presidencial Cristiano Machado (PSD) foi abandonado pelos correligionários.

À proporção que a campanha se aproxima da eleição, os candidatos a qualquer cargo estão virando cabritos. Pulam cerca, furam acordo e seguem o modus operandi “salve-se quem puder”. É a política da “Cristianização” operando a todo vapor. Ela se deu em 1950, quando o candidato presidencial Cristiano Machado (PSD) foi abandonado pelos
correligionários.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias