Eleitoral

Bolsonaro deve indicar dois ministros do TSE nos próximos meses

Mandato dos advogados que ocupam um lugar no Tribunal encerram no fim de abril e começo de maio; novos membros são indicados em lista tríplice ao presidente

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deverá ter dois novos ministros nos próximos meses, já que os mandatos dos advogados Admar Gonzaga e Tarcísio Vieira se encerram, respectivamente, em 27 de abril e 9 de maio.

Os substitutos dos magistrados serão escolhidos pelo presidente Jair Bolsonaro, que possui oito processos em tramitação no órgão relacionados a supostas irregularidades em sua campanha para a Presidência.

As ações em andamento no TSE investigam um possível disparo em massa de mensagens no aplicativo WhatsApp, ataque cibernético ao grupo Mulheres Unidas contra Bolsonaro no Facebook e outdoors espalhados com o nome de Bolsonaro em diversos municípios do país.

O TSE possui sete ministros titulares. Três deles também são ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), dois do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e outros dois são advogados. Enquanto os ministros do STF e do STJ seguem um esquema de rodízio para atuar no TSE, os representantes da classe de juristas são escolhidos através de lista tríplice submetida ao presidente da República.

Antes de finalizar o seu mandato, Bolsonaro terá de definir outros dois nomes para ocupar a vaga de juristas entre os anos de 2021 e 2023.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias