BASTIDORES

Amazô­nia é nos­sa

As­sim co­mo o Nor­des­te, a Amazô­nia Le­gal pos­sui o mes­mo nú­me­ro de no­ve es­ta­dos, den­tre eles o Ma­ra­nhão, que com­par­ti­lha com de 79% de seu ter­ri­tó­rio, in­clu­si­ve a ca­pi­tal São Luís. Tra­ta-se de uma imen­sa área de 5,2 mi­lhões de km², ou 61% do ter­ri­tó­rio bra­si­lei­ro, que es­tá em pe­ri­go. Sua po­pu­la­ção, en­tre­tan­to, cor­res­pon­de a […]

As­sim co­mo o Nor­des­te, a Amazô­nia Le­gal pos­sui o mes­mo nú­me­ro de no­ve es­ta­dos, den­tre eles o Ma­ra­nhão, que com­par­ti­lha com de 79% de seu ter­ri­tó­rio, in­clu­si­ve a ca­pi­tal São Luís. Tra­ta-se de uma imen­sa área de 5,2 mi­lhões de km², ou 61% do ter­ri­tó­rio bra­si­lei­ro, que es­tá em pe­ri­go. Sua po­pu­la­ção, en­tre­tan­to, cor­res­pon­de a 12,32% do to­tal de ha­bi­tan­tes do Bra­sil. Co­mo o Ma­ra­nhão é o úni­co es­ta­do a fa­zer par­te do Nor­des­te e da Amazô­nia Le­gal, lo­go tem voz nos dois Con­sór­ci­os de go­ver­na­do­res.

Na úl­ti­ma sex­ta-fei­ra, reu­ni­dos em Pal­ma (TO), go­ver­na­do­res da Amazô­nia de­mons­tra­ram gra­ve pre­o­cu­pa­ção com o avan­ço ace­le­ra­do do des­ma­ta­men­to. Flá­vio Di­no e seus co­le­gas de­fen­de­ram os da­dos de des­ma­te das flo­res­tas, pro­du­zi­dos pe­lo In­pe (Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal de Pes­qui­sas Es­pa­ci­ais), cri­ti­ca­dos pe­lo pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro, que de­ci­diu de­mi­tir o di­re­tor, Ri­car­do Gal­vão. Flá­vio Di­no (MA) e Hel­der Bar­ba­lho (PA) fo­ram os res­pon­sá­veis pe­la di­vul­ga­ção de da­dos re­la­ti­vos ao des­ma­ta­men­to.

Não tem co­mo não se pre­o­cu­par. O mun­do es­tá de olho no pro­ces­so de des­trui­ção da mai­or flo­res­ta do pla­ne­ta, cha­ma­da, por­tan­to, de “pul­mão do mun­do”. Du­ran­te as úl­ti­mas se­ma­nas, vi­e­ram à luz da­dos que de­ve­ri­am ser mais que pre­o­cu­pan­tes pa­ra to­dos os la­ti­no-ame­ri­ca­nos. Mos­tram ra­pi­dez de co­mo avan­ça a de­vas­ta­ção de um de nos­sos te­sou­ros mais va­li­o­sos, a sel­va­a­mazô­ni­ca. A re­gião abri­ga o mais ex­ten­so dos bi­o­mas bra­si­lei­ros, ou 1/3 das flo­res­tas tro­pi­cais úmi­das do pla­ne­ta, de­tém a mais ele­va­da bi­o­di­ver­si­da­de, o mai­or ban­co ge­né­ti­co e 1/5 da dis­po­ni­bi­li­da­de mun­di­al de água po­tá­vel.

Da­dos de sa­té­li­tes do pro­je­to MA­AP, da or­ga­ni­za­ção Ama­zon Con­ser­va­ti­on, nos úl­ti­mos 17 anos mais de 4,2 mi­lhões de hec­ta­res fo­ram des­flo­res­ta­dos na re­gião amazô­ni­ca (sem in­cluir a Bo­lí­via), e os úl­ti­mos anos fo­ram par­ti­cu­lar­men­te du­ros. Lo­go, en­tão, se jus­ti­fi­ca que a prin­ci­pal for­ça de con­ten­ção des­se pro­ces­so de­ve par­tir do Bra­sil e não o con­trá­rio, com o go­ver­no de­sa­cre­di­tan­do, sem ba­se ci­en­tí­fi­ca, os da­dos alar­man­tes do avan­ço do agro­ne­gó­cio, da mi­ne­ra­ção e da des­trui­ção da fau­na e dos ri­os. A Amazô­nia é nos­sa e de­la de­ve­mos to­dos cui­dar e res­pei­tar.

De ba­la, não

Ao ser in­da­ga­do se, co­mo co­or­de­na­dor da Ban­ca­da do Agro­ne­gó­cio na Câ­ma­ra, é tam­bém da Ban­ca­da da Ba­la, o de­pu­ta­do Hil­do Ro­cha (MDB) res­pon­deu rá­pi­do: “Não! Es­tou lon­ge des­sa po­si­ção”. Re­al­men­te, a ban­ca­da do agro tem 207 de­pu­ta­dos, a da Ba­la, ape­nas 36.

Me­lhor no PC­doB

Flá­vio Di­no re­ce­beu con­vi­te do pre­si­den­te do PSB, Car­los Si­quei­ra, pa­ra in­gres­sar na le­gen­da. Ele dis­se ser um con­vi­te hon­ro­so, de um par­ti­do im­por­tan­te, his­tó­ri­co, as­sim co­mo “o meu, PC­doB”. Eles têm uma lon­ga vi­da em co­mum, “de li­de­ran­ças mui­to im­por­tan­tes”, afir­mou.

Na­da de­ci­di­do

Di­no dis­se ain­da que o PSB tem o seu res­pei­to, po­rém, no mo­men­to es­ta mui­to bem e con­for­tá­vel no PC­doB, “no par­ti­do que fui elei­to du­as ve­zes go­ver­na­dor do meu Es­ta­do”. Mas não fe­chou a por­ta: “En­tão, nis­to de mu­dan­ça de par­ti­do, na­da de­ci­di­do”.


“Sen­sa­ção de des­go­ver­no no Bra­sil”

De Flá­vio Di­no, ao ser per­gun­ta­do, em Pal­mas, se é can­di­da­to a pre­si­den­te em 2022. Ele, que é ca­pa da re­vis­ta Car­ta Ca­pi­tal des­ta se­ma­na, res­pon­deu, al­fi­ne­tan­do: “Es­sa per­gun­ta é fei­ta por­que há uma in­su­fi­ci­ên­cia, inap­ti­dão do go­ver­no fe­de­ral. É co­mo se fos­se es­pé­cie de en­ve­lhe­ci­men­to pre­co­ce”.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias