A feira vai ao Palácio

O governador Flávio Dino vem fazendo coisas inusitadas. Passou meses relutando em se estabelecer como inquilino do Palácio dos Leões. Ao resolver levar a mudança, nunca explicou os motivos de ter ficado uma temporada apenas despachando em seu gabinete. Despachou até as cozinheiras do Palácio. Um espaço nobre Agora, o único governador da história do […]

O governador Flávio Dino vem fazendo coisas inusitadas. Passou meses relutando em se estabelecer como inquilino do Palácio dos Leões. Ao resolver levar a mudança, nunca explicou os motivos de ter ficado uma temporada apenas despachando em seu gabinete. Despachou até as cozinheiras do Palácio.

Um espaço nobre
Agora, o único governador da história do Brasil eleito pelo PCdoB tomou mais uma atitude inesperada, que ficará como uma das marcas de sua administração. Desde ontem, os pequenos agricultores familiares dos quatro municípios da Ilha Upaon-Açu têm um espaço nobre, jamais imaginado, para vender seus quiabos, maxixes, mangas, vinagreiras, abóboras, azeites de babaçu, macaxeiras, feijões verdes e tudo mais que produzirem.

Onde fica?
Sabe onde fica esse lugar: o privilegiado estacionamento da frente do Palácio Henrique de La Rocque, que já foi sede do governo do Maranhão por vários anos nos governos Edison Lobão e Roseana Sarney e hoje abriga algumas secretarias e a vice-governadoria. O espaço da feira será ocupado mensalmente pelos agricultores, aberto ao público, por ordem de Flávio Dino. O objetivo é tornar a produção agrícola dos pequenos uma vitrine do que são capazes de realizar como empreendedores, desde que tenham apoio, equipamentos e técnicos agrícolas, treinados para orientá-los.

Valorização
É um evento que permite aos pequenos agregarem valor ao que retiram da terra, prestarem informação à população e trocarem experiências que os valorizem como cidadãos. “Esse governo é diferente, porque gosta de gente e é feito por quem acredita na gente maranhense”, discursou Flávio Dino, ao lado da agricultora Maria de Fátima, mãe de 14 filho, que veio de Belégua com a pequena Maria de Jesus, de oito meses. Ela ganhou assento na mesa das autoridades, para receber o primeiro cartão do Programa de ‘Mais Agricultora Familiar’, dentro do Mais IDH, no valor de R$ 2,7 mil.

Beneficiados
Um total de três mil famílias são beneficiadas, no valor de R$ 8,1 milhões aplicados. Belágua foi o município mais pobre do Brasil. O eixo da área social do governo Flávio Dino, o‘Mais IDH’, atinge os 30 municípios mais pobres. “A não opção pelos mais pobres não tem volta. Só assim vamos mudar a política do Maranhão para sempre. Entendemos que a maior corrupção é a concentração da riqueza do país em mãos de apenas 1% da população”, discursou Dino.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias