REIVINDIÇAÇÃO

Quilombolas ocupam sede do Incra em São Luís

A ocupação recebe o reforço de outros movimentos, como o das Quebradeiras de Coco Babaçu e da Comissão Pastoral da Terra

Divulgação

Quilombolas de diversas partes do Maranhão estão ocupando a sede da Superintendência Regional do Incra desde a manhã de ontem, 17. O grupo liderado pelo MOQUIBOM reivindica o cumprimento do acordo firmado com o órgão em 2015, para regularização de 72 territórios.

Segundo o advogado do movimento, Rafael Silva, os Relatórios Técnicos de Identificação e Delimitação (RTID) dos territórios deveriam ser finalizados este ano, mas apenas 10 documentos foram entregues.

Veja Também

“Existem no Incra do Maranhão mais de 400 processos administrativos em andamento, estes 72 são apenas do Moquibom, que é um movimento forte com mais de 100 comunidades espalhadas pelo estado. Nós queremos entender o porquê das RTIDs terem sido suspensas”, pontua o advogado.

Na manhã de hoje a ocupação ainda recebeu o reforço de outros movimentos, como o das Quebradeiras de Coco Babaçu e da Comissão Pastoral da Terra.

“É de fundamental importância que o INCRA/Governo, cumpra com o acordo feito em 2015. É absurdo a forma de como esses processos de regularização dos territórios quilombolas são tratados, sem nenhuma importância. Regularização territorial é um direito, precisa ser garantido. E os Movimentos como o MIQCB, CPT estarem juntos com MOQUIBOM é uma forma de mostrar que os quilombolas não estão sós. Somos um só povo em busca dos direitos para o bem viver”, diz Ariana Gomes, assessora de projetos do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu do MA/PA/PI e TO.

Representantes do Incra tentam negociação desde o início da manhã. Uma reunião foi marcada para a tarde desta terça-feira, 18, para apresentação de proposta. Até o momento, a ocupação não tem tempo determinado para acabar.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS