CORONAVÍRUS

No Maranhão

868
53508
25120
1285
TURISMO

Chineses não precisarão mais de visto para entrar no Brasil

Inicialmente, não deve haver reciprocidade, ou seja, continuará sendo exigido visto aos brasileiros que quiserem viajar à China

Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro anunciou hoje (24) que chineses que vierem ao Brasil para turismo ou negócios não precisarão mais de visto para entrar no país. A decisão foi tomada após uma reunião dele com presidentes de grandes companhias chinesas, em Pequim. Inicialmente, não deve haver reciprocidade, ou seja, continuará sendo exigido visto aos brasileiros que quiserem viajar à China.

Neste ano, Bolsonaro já havia isentado de visto outros quatro países: Estados UnidosCanadáAustrália e Japão. Segundo o presidente, a Índia é outra nação que deve ser beneficiada posteriormente. “Vamos o mais rápido possível, seguindo a legislação, isentar turista chinês de visto para adentrar o Brasil. Pretendemos também fazer a mesma coisa com a Índia”, garantiu o chefe do Palácio do Planalto, nesta quinta-feira.

Hoje, a China figura como o principal parceiro comercial do Brasil. Entre e janeiro e setembro deste ano, a nação asiática foi destino de 27,6% das exportações nacionais, movimentando US$ 46,2 bilhões. Além disso, do total de importações brasileiras em 2019, 19,9% foram da China – o equivalente a US$ 26,64 bilhões.

Atualmente, os chineses que querem vir ao Brasil têm de recorrer a um dos três consulados brasileiros no país: em Pequim, Xangai e Cantão. A partir da isenção do visto, que ainda não tem data para entrar em vigor, o Brasil abre as portas para uma população de aproximadamente 1,4 bilhão de pessoas. 

“(Quanto à participação do turismo no PIB) queremos chegar a pelo menos 10% do PIB. Hoje acho que é de apenas 6%”, projetou Bolsonaro. Em 2018, de acordo com números do China Outbound Tourism Research Institute (COTRI), 56 mil chineses visitaram o Brasil, 8% a menos do que o registrado em 2017 – pouco mais de 51,2 mil pessoas.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Notícia Boa
Checamos
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias