Reprodução

Apesar da importância para a saúde pública, a doação de sangue ainda é baixa no Brasil. De acordo com o Ministério de Saúde, apenas 1,8% da população brasileira é doadora. Ainda assim, muitas vezes o material coletado não pode ser aproveitado devido às más escolhas alimentares, lembra a MAPFRE Saúde.

Não se doa sangue em jejum, mas isso não significa comer em excesso. E é importante que essa regra seja levada à risca, pois se a pessoa se alimentar de forma inadequada, ingerindo gorduras e frituras, um dia antes da doação, o sangue, doado na manhã seguinte, pode ser descartado.

A recomendação é conhecida: uma alimentação equilibrada, com frutas, verduras e legumes, carnes grelhadas. Tome um café da manhã leve e, se a doação for depois do almoço, deixe para fazê-la duas horas após a refeição. Também não se pode beber nas 12 horas que antecedem a coleta do sangue.

Para se ter ideia da seriedade da situação, o banco de sangue da Santa Casa de Presidente Prudente (SP) precisa descartar todos os meses 5% das doações recebidas devido ao alto índice de gordura encontrado no material colhido.

A MAPFRE Saúde lembra os pré-requisitos necessários para doar sangue:

– Ter entre 16 (dos 16 até 18 anos incompletos, apenas com consentimento formal dos responsáveis) e 69 anos, 11 meses e 29 dias

– Pesar mais de 50 kg

– Não ter ingerido bebida alcóolica 12 horas antes do dia da doação

– Não estar em jejum; evitar apenas alimentos gordurosos nas três horas que antecedem a doação

– Tomar bastante água

– Ter uma noite de sono tranquila e estar descansado