CORONAVÍRUS

No Maranhão

1006
43313
15629
1095
SANTA CATARINA

Shopping faz chantagem: só doa respiradores se puder reabrir as lojas

O grupo se propõe a disponibilizar vagas de estacionamento cobertas para a realização de testes em massa

(foto: Divulgação/Centros de Compras Almeida Júnior)

O CEO da administradora de centros de compras Almeida Júnior , Jaimes Almeida Júnior, oferece 12 respiradores à Secretaria de Saúde de Santa Catarina, caso o estado aceite a proposta para reabertura de suas lojas no estado.

Em e-mail enviado ao governador Carlos Moisés (PSL), o grupo se propõe a disponibilizar vagas de estacionamento cobertas para a realização de testes em massa e diz que o funcionamento dos estabelecimentos seguiria medidas de segurança, como o intervalo mínimo entre tabelas e controle de fluxo de pessoas.

A oferta é de dois respiradores para cada compra, com previsão de entrega em até um mês após a reabertura das lojas. “O governador ainda não se posicionou. Como propostas que o grupo Almeida Junior fez ao Governo de Santa Catarina para reabertura de compras, levariam muita segurança aos consumidores ”, afirmou Jaimes Almeida Júnior ao Estado.

Questionado sobre como realizar uma compra e a entrega de equipamentos, já que há uma grande demanda mundial por esses suprimentos, o CEO responde que “uma empresa já está avaliando no mercado oportunidades de compra e entrega de respiradores após a abertura de compras”.

A administradora também informou que possui estoque do produto denominado SDST, que, segundo Jaimes Almeida Júnior, seriamente eficaz contra “microorganismos por até 90 dias após a aplicação e secagem”. O produto pode ser aplicado em áreas comuns de compras.

“Adquirir ao longo dos 40 anos que fundamenta o Almeida Júnior em um espírito público provocado naturalmente pelo nosso negócio – shopping centers são os equipamentos privados da alma pública”, diz o trecho da mensagem encaminhada ao governador. O grupo emprega cerca de 16 milhões de pessoas em seis locais de operação em cinco cidades: São José , Criciúma , Balneário Camboriú , Blumenau e Joinville.

O Estado de Minas procurou o governador Carlos Moisés para falar sobre uma proposta, mas até o momento, uma assessoria de comunicação não respondeu aos pedidos de entrevista.

Desde o início da quarentena, que também suspendeu o transporte coletivo, ou o governador foi pressionado para reduzir ou endurecer as regras de isolamento social.

Em 26 de março, após uma manifestação dos setores produtivos cobrando a reforma da economia, Moisés chegou a anunciar uma reabertura do comércio, marcada para 1º de abril. No entanto, os impactos negativos do anúncio podem ser feitos pelo governador. Uma hashtag # SCNãoQuerMorrer ganhou força na internet após o anúncio.

Na semana passada, Moisés voltou a falar em liberar setores selecionados. Foram liberados setores ligados à construção civil – lojas e realização de obras – e o comércio de chocolates, que foi incluído na categoria de alimentos. Na sexta-feira, 3, Moisés anunciou em sua conta no twitter que outros setores podem estar liberados já a partir desta segunda-feira, 6.

Uma lista não inclui centros de compras. “No fim de semana, estamos estudando regras para trabalhadores autônomos, profissionais liberais, consultores de saúde e clínicas – importante grupo de atividades econômicas – retoma atividades na 2ª feira”, escreveu Moisés.

Leia o trecho da proposta de Almeida Júnior (grifos do original):

“A ALMEIDA JÚNIOR na batalha contra o COVID 19 se propõe a contribuir com a Secretaria de Saúde de São José, Criciúma, Balneário Camboriú, Blumenau e Joinville:
a) – em todos os nossos shoppings espaços para VACINAÇÃO e EXAMES DE COVID 19 sem modelo que é oferecido pela Secretaria da Saúde e sem tempo necessário;
b) – doação para a Saúde Pública do Estado de dois respiradores para compras, por cidade, no primeiro mês de abertura dos shoppings – 12 RESPIRADORES ”.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Notícia Boa
Checamos
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias