Eduardo, Jair e Flávio Bolsonaro (Reprodução)

Uma ação que investiga quadrilhas de policiais especializados em extorsão prendeu dois policiais militares, irmãos gêmeos, que participaram das agendas de campanha de Flávio Bolsonaro (PSL), atualmente deputado estadual e candidato ao Senado pelo Rio de Janeiro.

Nas últimas semanas eles acompanharam o filho de Jair Bolsonaro (PSL) em agendas na zona oeste da capital carioca. Segundo integrantes da campanha, os policiais eram irmãos e atuavam dando apoio de segurança nos eventos de campanha de Flávio.

Veja Também

A prisão dos PMs causou mal-estar na campanha do clã Bolsonaro, já que o discurso da família-política é combater criminosos com rigor. Dias antes, Flávio tinha postado em seu instagram ao lado de seu pai, Jair Bolsonaro, e dos policiais acusados de extorsão, uma foto com a legenda “Essa família é nota mil”.

Em nota, nesta terça-feira (4/8), o candidato ao Senado negou que os irmãos integrassem a sua campanha. Pessoas ligadas ao candidato, entretanto, afirmaram que os policias que foram presos atuavam como voluntários na campanha.