Reprodução

Não foi dessa vez. O Coronel Monteiro (PHS) anunciou ainda essa semana que teria o apoio do deputado estadual Eduardo Braide (PMN) para sua candidatura ao governo do estado. Mas não aconteceu. Esse foi o segundo golpe que Monteiro sofreu nas eleições 2018. O primeiro partiu de Maura Jorge (PSL) que articulou junto com a cúpula do PSL para ser a candidata de Bolsonaro no Maranhão, antes disso, quem postulava o cargo de ‘Bolsonaro do Maranhão’ era justamente o Coronel Monteiro.

Mas acontece que Braide nunca disse que seria candidato e também nunca abriu a boca publicamente para falar que apoiava A, B ou C. Manteve o silêncio como estratégia de discurso, assim mantinha o interesse da imprensa e do eleitorado em volta do seu nome. Essa semana, em uma rádio da capital, Eduardo Braide evitou dar qualquer declaração que enfraquecesse a relação do PMN com o PHS de Monteiro. Única coisa que afirmava era que os dois partidos “marchariam” juntos para “onde quer que fosse”, talvez essa declaração fez Monteiro acreditar que Braide o apoiaria.

Veja Também

Pois bem, conforme Monteiro divulgou em vídeo no Facebook, o PHS havia lhe oferecido o partido e dado condições para que ele fosse o candidato do partido. Essa promessa foi frustrada na noite de ontem em uma reunião que teve representantes do PMN e PHS.

Sabia-se nos bastidores a pretensão de Braide retribuir o gesto do ex-governador José Reinaldo Tavares (PSDB). O ex-governador foi fiador de sua candidatura ao governo do estado. Era o porta-voz de Braide na imprensa para “confirmar” sua pré-candidatura. Mas conforme Braide mesmo relatou, não conseguiu reunir força partidária suficiente para partir a uma majoritária estadual. A corrida ao Palácio dos Leões é diferente da briga pela Prefeitura de São Luís.

Eduardo Braide também pensa no projeto de 2020, quando pode ter o apoio de um partido grande, com estrutura para levar o PSDB de volta ao comando da capital maranhense. Foi Sebastião Madeira mesmo que deu essa declaração. “Braide precisa de um partido para 2020, e o PSDB é esse partido”, afirmou Madeira.

Não engoliu

Quem não digeriu a nova decisão do PHS foi o Coronel Monteiro. Em vídeo divulgado em seu Facebook, Monteiro afirma que não vai desistir e também que não aceita “nenhuma outra proposta”, disse ainda que sua candidatura não é para interesses pessoais.

“Sabíamos que o mecanismo é muito pesado. E o mecanismo foi capaz de nos iludir, de nos dizer uma coisa e fazer outra. Nós tivemos nossa candidatura podada, de maneira infame. Porque nós tínhamos um compromisso e nós honramos a nossa parte. O PHS, na expressão do seu dirigente no Maranhão, não foi digno de um partido”, desabafou Monteiro.