Foto: Reprodução

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB), de Flávio Dino, emitiu nota sobre a decisão proferida ontem, 8, pela juíza titular da 8ª Zona Eleitoral de Coroatá, que determina a inelegibilidade do governador. Além dele, a sentença cita também o ex-secretário de Comunicação e Assuntos Políticos, Marcio Jerry, e pede a cassação da chapa do atual prefeito de Coroatá, Luís Mendes Ferreira Filho e seu vice, Domingos Alberto Alves de Sousa.

Sobre a decisão, o partido afirma que “a ação movida por Ricardo Murad, coordenador de campanha de Roseana Sarney, visa apenas desestabilizar o processo eleitoral “.

Ricardo Murad é casado com Teresa Murad, cabeça da chapa “Coroatá com a Força de Todos”, derrotada nas eleições municipais de 2016, em Coroatá. Na época, a população encarou a derrota como “o fim da oligarquia Murad em Coroatá”.

Em defesa de Dino e Márcio Jerry, o partido declara “fragilidade” na decisão da juíza, citando a prova utilizada por ela no processo como reflexo de “desespero de quem está atrás nas pesquisas”.

Em seu twitter, o governador Flávio Dino também se manifestou sobre a decisão e diz: “Estão com síndrome de abstinência de privilégios. Aí ficam inventando coisas sem sentido”, se referindo à oposição.

Confira a nota na íntegra:

Sobre a decisão da juíza Anelise Nogueira Reginato contra o governador Flávio Dino e o ex-secretário Márcio Jerry, a direção estadual do PCdoB do Maranhão afirma:

1. A ação movida por Ricardo Murad, coordenador de campanha de Roseana Sarney, visa apenas desestabilizar o processo eleitoral e reflete o desespero de quem está atrás nas pesquisas.

2. A fragilidade da decisão judicial está exposta por basear-se em uma suposta prova de 2018, que comprovaria suposta irregularidade cometida dois anos antes.

3. Certamente a sentença não tem nenhum valor jurídico e será anulada.

São Luiz, 8 de agosto de 2018