DEFESA

Andrea Murad classifica ‘episódio’ como uma tentativa de calar sua voz

A deputada enviou nota a O Imparcial, em relação à discussão com o deputado estadual Rogério Cafeteira (PSC)

Andrea Murad rebate críticas e diz não temer qualquer tipo de comissão investigativa

Em nota enviada a O Imparcial, em relação à discussão com o deputado estadual Rogério Cafeteira (PSC), durante a sessão plenária da última quarta-feira, dia 15, a deputada Andrea Murad deu a sua versão para o fato. “Ao exceder o tempo do meu discurso (…), vi o deputado Rogério Cafeteira (…) fazendo gestos para que fosse cortado o áudio do meu microfone, o que representa pra mim um comportamento na tentativa de calar a minha voz sobre as graves denúncias que fazia no momento em relação à saúde no Estado”, assim se defende a deputada estadual do PMDB.

Toda tensão começou quando, às vésperas do recesso parlamentar, a deputada ultrapassou o tempo regimental na tribuna e, então, Cafeteira, que é líder do governo no parlamento, pediu que ela concluísse a fala. Andrea abordava a situação dos hospitais públicos no estado do Maranhão. Os dois travaram uma discussão desagradável. Sobre a suposta insinuação de que ela teria fatos que pudesse macular a imagem de Rogério Cafeteira, ela também fez considerações. “Quem me conhece sabe que jamais, repito jamais, me envolveria na vida pessoal de qualquer cidadão comum ou autoridade parlamentar pra causar qualquer tipo de problema ou exposição”, disse.
Sobre o fatídico episódio, o líder do governo comentou que o motivo do desagradável bate-boca foi a leitura da criação da CPI da Saúde, que no bojo das investigações terá a gestão de Ricardo Murad como alvo e que a parlamentar teria se exaltado quanto a isto: “O descontrole dela foi óbvio que aconteceu por conta disto, pois aconteceu após a leitura, mostrando que havia ficado descontrolada por conta do assunto”, concluiu Cafeteira.
Sobre a CPI, Andrea disse que mantém diálogo com o presidente Humberto Coutinho e outros deputados da casa e já sabia que o documento seria lido na quarta-feira. Ela diz não temer qualquer comissão investigativa. “Quando falo sobre investigar qualquer fato que possa estar comprometendo o papel do Poder Legislativo, que antes de tudo deve servir aos anseios do povo, não estou fazendo chantagem ou ameaça, mas refiro-me a uma nova política que defendo”.
Sobre a acusação de que ela teria criado um “clima na Assembleia que nunca houve”, Andrea ressaltou que não há consistência na fala do deputado Rogério Cafeteira até pelo fato do mesmo possuir apenas um mandato no parlamento, onde está acostumado a costurar acordos aos quais não se submete. “Combato tal prática e por isso o seu descontrole e falta de costume em ser combatido por uma mulher na Assembleia Legislativa”, finalizou.
VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias