OPINIÃO

Qual salário deve preocupar mais: o do Neymar ou do Gilmar?

Tem muita gente achando um absurdo o salário dos jogadores da Seleção Brasileira como se este dinheiro viesse diretamente do Orçamento da União, competindo com o dinheiro da Saúde, Segurança e Educação

O Brasil está passando por uma grave crise econômica, política e institucional. Isto não me assusta, crises também escondem oportunidades.

Meu receio é passarmos por ela sem rever nossos conceitos e não mudarmos para melhor enquanto sociedade, enquanto nação. Estamos próximo a uma eleição que tem todos os contornos para se tornar histórica sob vários aspectos.

Veja Também

Dentro de todo este contexto, surge a Copa do Mundo. Nos últimos dias, tenho visto no meu feed de notícias algumas críticas a respeito deste campeonato, que é uma das únicas coisas que, atualmente, ainda é capaz de unir pessoas diferentes.

As pessoas colocaram a culpa de todas as nossas crises na nossa camisa verde e amarela, a canarinha. Não sou psicólogo mas acho que trata-se de um caso clássico de projeção. A Seleção Brasileira e o salário do Neymar não são culpados por chegarmos onde estamos.

Vi muita gente achando um absurdo o salário dos jogadores da Seleção Brasileira como se este dinheiro viesse diretamente do Orçamento da União, competindo com o dinheiro da Saúde, Segurança e Educação. Não. O dinheiro vem de empresas privadas.

O PSG, por exemplo, só comprou o Neymar por 222 milhões de Euros, 963 milhões de reais na cotação atual do Euro, pois o clube francês, que é uma empresa privada, fez várias análises e chegou no valor que equilibra vários fatores econômicos como: o valor de Mercado dos outros jogadores com a habilidades semelhantes ao Neymar, o retorno que o Neymar irá trazer ao clube, o valor que outros times estão dispostos a pagar pelo Neymar.

Caso esta equação não fosse vantajosa ao clube, o negócio não seria feito, simples assim. Agora a bola está com o Neymar que precisa fazer gol senão o mesmo time que o comprou a peso de ouro irá dar um jeito de se desfazer dele.

Por outro lado, vamos olhar para os nossos Congresso Nacional e Supremo Tribunal Federal.

Quem definiu o salário dos deputados, senadores e da Turma do Gilmar? Respondo, eles próprios! Quem paga? Nós! Estamos satisfeitos com o retorno que eles nos dão? Não! O salário deles equilibra alguma equação que une indicadores econômicos, sociais, eficiência, renda per capita, PIB, índices de desemprego? Não! Eles não valem o que ganham, logo a conta está cara.

Segundo um estudo da ONG Contas Abertas, feito em 2017, o nosso Poder Legislativo sozinho custa R$ 1,16 milhões por hora, todos os 365 dias do ano, o que somou mais de R$ 10 bilhões ao final do ano passado.

Esse dinheiro sim me preocupa, pois ele sai diretamente do Orçamento da União, ou seja, dos nossos impostos, competindo com o orçamento de pastas mais importantes como saúde e educação. Dessa forma, o Neymar saiu barato para nosso bolso e nossa sociedade. Me preocupo mais com o salário dos que eu estou pagando, está saindo caro demais.

Tomas Hugo de Almeida é Engenheiro Eletricista e escreveu para a seção de Opinião do Jornal O Imparcial.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS