Opinião

Leia o artigo “Morte, que droga de pena!” do advogado Pedro Leonel

O título acima, mais que um jogo de palavras, parece ser uma charada. Ao final destas linhas o leitor descobrirá a solução.

Por: Pedro Leonel

O título acima, mais que um jogo de palavras, parece ser uma charada. Ao final destas linhas o leitor descobrirá
a solução.

Tudo está ligado ao despertar sangrento de 2017, com o massacre de presos em Manaus (AM) e Boa Vista (RR). Não foram os primeiros e nem serão os últimos. Mantidas que sejam as mesmas condições de temperatura e pressão, os mesmos serão os resultados futuros. E nada tem de espantoso, pelo menos para este que escreve. Talvez para algum leitor, desatento ou ingênuo, a coisa possa parecer chocante e extraordinária. Isso porque de há muito a brutalidade e a crueldade massivas passaram a ser a regra nos costumes penitenciários por todo o Brasil. Fontes idôneas apontam que esse fenômeno avultou-se a partir de quando passamos a ser o alvo maior consumidor e distribuidor no mercado internacional de drogas e armas.

Para ilustrar essa realidade cruenta, trago ao debate três distintas locuções, ainda que de fundo comum, que dão a
medida da reação provocada pelos fatos. O presidente Temer foi criticado pelo seu “acidente pavoroso”. Relembrou o jornalista Alexandre Garcia que Manaus e Boa Vista, somados, não passam de amostras diante da média de 164 mortes por dia causadas pelo narcotráfico em todo o Brasil. Cá no Maranhão foi bem preciso o juiz Roberto Veloso, falando como presidente da Associação dos Juízes Federais (AJUFE), quando disse que o acontecido em Boa Vista e Manaus se trata de “disputa pela entrada de entorpecentes no País”.

Tirante o primeiro, prova da existência de quem não conhece os refolhos do idioma e não sabe medir o valor da adjetivação, os outros dois são diagnósticos corretos ainda que incompletos.

Com efeito, dizer que há morticínios de presos e que a droga é a principal geratriz dos eventos — trata-se de informação pela metade a um passo, assim, de ser informação acumpliciada com o crime. Poucos ou ninguém têm a coragem de pôr o dedo na ferida e dizer esta verdade: a cada dia o Brasil se engolfa mais e mais numa guerra civil não declarada; e que Estado e sociedade brasileiros passaram a ser reféns do crime organizado internacional ligado ao narcotráfico. E há uma parcela dessa verdade, esta omitida em todas as redações e noticiários, segundo a qual o fornecimento de drogas para o Brasil já estaria hoje submetido a um comando ideológico atrelado a partidos de esquerda. Tornou-se tabu na mídia brasileira falar-se que as FARC, como empório das drogas, são o braço armado do partido comunista da Colômbia e de suas ligações com as facções prisionais nas quais o PC do B não seria de todo um ausente.

Soa surpreendente, assim, que dias depois dos eventos tenha o Estadão (5.1.17, A12) noticiado: “Em uma das denúncias oferecidas pelo Ministério Público Federal, no âmbito da Operação La Muralla, os investigadores detalham a relação da facção Família do Norte com fornecedores de drogas ligados às FARC”.

A continuar, pois, essa realidade, não demora e o Império do narcopoder estará encorajado a ditar normas para o Estado brasileiro no campo legislativo e da gestão administrativa, tudo de maneira a facilitar o mercado para seus produtos algo recreativos.

Exigência primeira que fará o Império: que não tenha curso qualquer decisão legislativa que institua no Brasil a pena de morte contra os chefes do tráfico. Isto é, contra aqueles que trucidam à vontade e impunemente dentro das nossas penitenciárias. Em nome da e pela droga.

Raio atinge duas pessoas no Espigão

A informação foi confirmada pelo Centro Integrado de Polícia e Segurança (Ciops).

Conta de luz continua com bandeira vermelha

Criado pela ANEEL, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada

MEC prorroga prazo para renovação de contratos do Fies

A renovação deve ser feita somente para os contratos formalizados até 31 de dezembro de 2016.

Acidentes de trabalho matam 2,3 milhões por ano

Além disso, cerca de 300 milhões de pessoas ficam feridas todos os anos por acidente de trabalho

Prefeitura e Sebrae firmam parceria

A parceria institucional será desenvolvida por meio de consultoria e ações efetivas na parte de gestão, capacitação e comércio de produtos alimentícios

Ônibus voltam a circular na capital maranhense

Os rodoviários paralisaram as atividades em apoio à greve geral realizada em todo o país nesta sexta-feira (28) contra a reforma Trabalhista e a da Previdência

Formação de coach contínua em São Luís

Coaching pode ser uma valiosa ferramenta de sucesso para quem quer alavancar seu negócio ou carreira e ainda encontrar equilíbrio com a vida pessoal

O horizonte musical comum de Kleber Albuquerque e Rubi

Os caminhos musicais de Kleber Albuquerque e Rubi começaram a se cruzar há 20 anos

Cidades do interior aderem aos protestos

Manifestantes nos municípios de Bacabeira, Imperatriz e Vargem Grande interditaram vias que cortam as cidades

Manifestantes ameaçam lojistas na Rua Grande

Uma parte do grupo pressionaram os vendedores de diversas lojas a fecharem as portas por conta de uma possível depredação

App ajudam em transporte em dia de protestos na capital

Táxis, mototáxis e serviços de carros compartilhados foram as alternativas para muita gente que precisou sair de casa nesta sexta-feira (28) de manifestações em São Luís

Aeroporto funciona normalmente em São Luís

O Imparcial conseguiu entrar em contato com as companhias aéreas Gol e Latam, que confirmaram que a programação de voos segue normalmente

O que os deputados pensam sobre as reformas federais

Deputados estaduais falaram ao O Imparcial suas opiniões sobre as reformas que estão em processo de tramitação na Câmara dos Deputados e no Senado Federal

Os guardiões estão de volta para defender a galáxia

Depois do sucesso da estreia, os desajustados e engraçadinhos Guardiões da galáxia voltam aos cinemas hoje seguindo a mesma fórmula, além de uma trilha sonora turbinada

Mitos e verdades sobre a gripe H1N1

Especialista tira as principais dúvidas sobre a gripe que atinge a maioria dos Estados do país e causa grande preocupação na população

VEJA MAIS