Estudantes de plantão

Quer estudar para concurso? Veja nossas dicas!

Correios, Polícia Militar, Procon. É sair o edital para concursos públicos e a movimentação em torno das provas começa.

Foto: Reprodução

Correios, Polícia Militar, Procon. É sair o edital para concursos públicos e a movimentação em torno das provas começa. Taxas de pagamento, isenção, con­teúdo programático, particularidades no edital. En­tram em ação os grandes cursos preparatórios para provas de certames. Nos outdoors e atrás dos ônibus, estão estampados os valores para revisão de conteúdo. É hora de se pre­parar! Mesmo em tempo globalizado, onde empreender e criar novas formas de negócio têm se tornado tendência, a ideia de estabilidade financeira e profissional que o con­curso público imprime ainda faz brilhar os olhos de muitos.

Os estudantes de plantão, famosamente conhecidos como “concurseiros” que se preparam constantemente, mesmo sem saber quando aparecerão novas oportunida­des de ingressar no serviço público, precisam organizar a agenda de estudos. Pensando nisso, O Imparcial trouxe cinco dicas para ajudar a turma concurseira a se preparar e mandar bem nas provas.

1. Quantas matérias na programação?

Estudar uma matéria. Esgotá-la. Aí então, inicia-se outra matéria. Erro! A prática não dá liga porque, se sair o edital, provavelmente você terá um conhecimento limitado do conteúdo solicitado. Além do mais, quando se deixa de estudar algo por muito tempo, a tendência é não lembrar muitas informações.

Por outro lado, começar com uma grande de matérias também traz complicações. O tempo de estudo para cada uma ficará muito reduzido, dificultando o aprendizado e provocando uma sensação de frustração.

A solução é caminhar pela via do meio: colocar no planejamento de estudos apenas as disciplinas básicas que sempre caem nos concursos. Mesmo que depois seja necessário incluir mais algumas, comece pelas que efetivamente caem em todos os concursos da área e que, provavelmente, são requisitos para a compreensão de outras matérias.

2. Conteúdo Programático x Tempo de Estudo

Se pensarmos em um plano de estudo com cinco matérias obrigatórias, parece óbvio distribuí-las nos cinco dias letivos semanais. Acerto no começo! Erro no caminho! Isso porque, durante o processo de estudo, você vai perceber que alguns conteúdos se esgotam mais rápido e outros são mais longos do que o que imaginava. Então, a distribuição vai desequilibrar, causando perda de tempo e ineficiência.

A alternativa é puramente intuitiva. Compreender qual matéria demanda mais tempo de estudo e qual demanda menos. Notando as diferenças, distribuir as matérias ditas “mais importantes” para serem estudadas semanalmente e as “mais simples” podem ser estudadas de forma quinzenal. A dica é não exceder o período de duas semanas para evitar esquecimento daquela disciplina.

Lembre que você não vai esgotar a matéria a cada vez. Estude até onde for possível, dentro do tempo de estudo estipulado. Quando parar, anote o ponto em que parou e a data, assim saberá de onde retomar. Depois de algumas semanas, é interessante reavaliar e compreender quais suas novas demandas de estudo e incluí-las em seu plano.

3. Outra dica é alternar

Tá provado! As disciplinas exatas e de linguística, por exemplo, estimulam, igualmente, o cérebro. Mas as áreas estimuladas são diferentes para cada uma delas. Sendo assim, é importante dividir de forma a equilibrar os tipos de matérias durante o período de estudo. Assim, se alcança melhor resultado e diminui-se o esforço.

4. Avaliar é necessário!

Em resumo, a distribuição de matérias requer alguns cuidados e um bocado de paciência. Não é algo que se faça de imediato e é necessário testar no modelo diversas opções e a que melhor se encaixar à sua realidade é que vai guiar seus estudos. A cada fim de mês você deve reavaliar o plano e fazer as correções para o mês que vai começar.

5. A pior matéria no melhor horário

Por obviedade, escolha a matéria que você tem mais dificuldade para aprender em um horário onde seu corpo melhor responde a estímulos cognitivos. Se você é “diferente” do resto do mundo (tenha bom humor!) e acha que segunda-feira é o melhor dia para estudar e aprender coisas novas, use esse dia para estudar a matéria que você menos tenha afinidade. Se é no silêncio da noite que você melhor se concentra, use esse horário para tentar compreender aquela disciplina “cabulosa”, que está te tirando o sono. Desta forma, fica mais fácil garantir uma produtividade razoável todos os dias e para todas as matérias.

MOSTRAR MAIS