Você sabe?

A área dos Lençóis Maranhenses é um deserto ou não?

A área do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses ocupa mais de 1000 metros quadrados e é a maior região de dunas em local não-desértico.

Reprodução

O Google Street View liberou a visualização em 360 graus de sete parques naturais brasileiros. Entre esses sete, está o nosso Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Mas, sendo maranhense ou não, você conhece bem o lugar? Juntamos algumas informações para não te deixar desinformado quando o assunto chegar na sua roda dos amigos.

140 campos de futebol

A área do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses ocupa mais de 1000 metros quadrados e é a maior região de dunas em local não-desértico (sim, não é um deserto). Em comparação, a área tem o mesmo tamanho de 140 mil campos de futebol.

Segundo um estudo encabeçado pelo geólogo Paulo César Giannini, disponível pelo XII Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário, o alinhamento entre vento, sedimentos (areia), temperatura e pluviosidade (quantidade de chuvas) é a receita para a formação dos “lençóis”.

Não é deserto? Como assim?

Alguns confundem, mas a região os Lençóis Maranhenses não é um deserto. Desertos são locais com indisponibilidade total de água. E se tem uma coisa que se encontra nos Lençóis Maranhenses, é água.

Segundo o estudo, a média de chuvas em Barreirinhas, cidade satélite, é de 1600 milímetros por ano – 100 a mais que em São Paulo. Em desertos, os valores de pluviosidade mais altos não passam de 200 mm/ano.

Então, quando alguém disser que a região Lençóis Maranhenses é um deserto, você rebate: “Mas, pera lá!”.

Como se formam as lagoas?

Com as chuvas. Em determinados períodos do ano, elas podem chegar até a 5 metros de profundidade.

Como 85% de toda a chuva da região se precipita nos primeiros seis meses do ano, as maiores lagoas se formam no primeiro semestre.

Entre julho e dezembro, o lugar fica mais seco e as lagoas minguam. A quantidade de chuvas cai para 170 milímetros.

As dunas mudam de lugar?

É como uma dança. O vento leva a areia para lá e para cá. Isso só é possível pelo tipo de areia da região.

O tipo de sedimento dos Lençóis Maranhenses é de areias eólicas formadas predominantemente por quartzo com proporção muito baixa de grãos carbonáticos, de acordo com o estudo de Giannini.

Traduzindo: esse nome complicado quer dizer que a areia da região tem característica de grãos que se grudam rapidamente uns com os outros. Este fenômeno dificulta o transporte pelo vento e até “endurece” as dunas.

Com o aquecimento global, os Lençóis podem sumir?

A região do nordeste, segundo o site Clima Tempo, tem ficado mais quente, ventosa e seca. Com a sequidão e a quantidade maior de ventos, a areia fica mais solta, as dunas se movem mais rápido e fácil, chegando até áreas urbanizadas.

Contudo, quanto maior a quantidade de areia, mais demorada essa mudança.

Se você ainda não visitou, vai dá tempo. A beleza vai continuar lá por alguns séculos.

MOSTRAR MAIS