Justiça

Caso Mariana: audiência desta quinta-feira (18) durou mais de 6 horas

Defesa conseguiu suspender o processo até que saia resultado de laudo médico atestando a sanidade mental de Lucas Porto, acusado de estuprar e matar Mariana Costa

Mariana Costa, vítima de feminicídio

A audiência de instrução marcada para ouvir o empresário Lucas Porto, acusado de estuprar e matar a cunhada Mariana Costa, durou mais de seis horas. Marcada para as 11h desta quinta-feira (18), a audiência começou com uma hora de atraso e se estendeu por toda a tarde, sendo encerrada no início da noite. Como parte da estratégia da defesa, o réu Lucas Porto não depôs. A defesa, inicialmente, alegou que ele estava com virose, garganta inflamada e confusão mental. Depois, solicitou a suspensão do processo para que Lucas Porto possa ser submetido a um exame médico que ateste a sua sanidade mental. O pedido foi acatado pelo juiz José Ribamar Goulart Heluy Júnior, por ter base constitucional.

A última testemunha de defesa de Lucas Porto foi ouvida na audiência de instrução desta quinta-feira (18). A testemunha, identificada como Flávia Raquel, trabalhou como babá na casa de Lucas Porto entre 2006 e 2010. Questionada pela defesa, Flávia Raquel afirmou que, no período em que trabalhou com a família dele, Lucas Porto era uma pessoa tranquila e amorosa com suas filhas e esposa.

Testemunha de defesa Flávia Raquel em depoimento na tarde desta quinta-feira (18). Foto: Daniel Moraes / O Imparcial

O advogado-assistente de acusação João Batista Ericeira também interpelou a testemunha da defesa. Perguntada sobre o que sabia sobre o crime, Flávia Raquel afirmou que não via lógica em estar depondo, já que o crime aconteceu em um período em que ela não tinha mais contato com a família de Lucas Porto. “Mas eu não ia me recusar a falar nada”, explicou a testemunha.

No entendimento da promotoria, a estratégia da defesa é protelar o julgamento o máximo possível, o que não deve alterar os rumos do processo. “O processo está recheado de provas periciais, testemunhais, que não deixam dúvida de que o réu [Lucas Porto] foi o autor desse crime. Ele estuprou e matou a Mariana [Costa]. Solicitar o Incidente de Sanidade Mental foi a última cartada da defesa, mas o processo vai seguir depois que isso for concluído, e nós acreditamos que o réu seja levado a julgamento pelo Tribunal do Júri”, disse o promotor Gilberto Câmara em entrevista a O Imparcial.

Ouvido pela reportagem, o advogado de defesa Paulo Napoleão Gonçalves Quezado afirmou que a audiência correu dentro do esperado, e que a linha de estratégia da defesa será montada depois do resultado do laudo médico. O processo contra Lucas Porto só será retomado daqui a 45 dias, prazo em que deve sair o resultado do laudo médico atestando (ou não) a sua sanidade mental.

 

MOSTRAR MAIS