São Luís a Icatu

Ferryboat terá nova rota

Projeto ligará São Luís a Icatu. O percurso vai demorar uma hora a menos, desafogando a BR-135

Por: Viviane Passos
Foto: Reprodução

Um projeto visa am­pliar os serviços de ferryboats no Ma­ranhão, que hoje compreende os terminais de Ponta da Espera (São Luís) e Cujupe (Alcântara). Inicialmente, a proposta para o transporte aquaviário pre­via a conexão entre São José de Ribamar e Icatu, porém a costa marítima da zona ru­ral de São Luís apresentou melhores condições de na­vegabilidade.

Concebido há mais de um ano, o novo sistema vai li­gar, por mar, São Luís a Icatu e à região do Munim, com transporte de ferryboats. O percurso demora uma hora a menos, desafoga a BR-135 e aumenta o fluxo para Bar­reirinhas e demais municí­pios da Rota das Emoções. O projeto de iniciativa do Go­verno do Estado, por meio da Agência Estadual de Trans­porte e Mobilidade Urbana (MOB), cria atracadouros, com rampa e abrigo para passageiros, nos dois pon­tos que conectarão a Ilha de São Luís ao município de Icatu.

Estudos de viabilidade técnica apontaram que a me­lhor opção para instalação do atracadouro em São Luís seria na baía da região da zona rural, considerando os critérios de localização ge­ográfica e profundidade do canal. “A ideia era fazer as ligações de São José de Ri­bamar a Icatu, mas as condi­ções de navegabilidade não seriam boas. Então, será fei­to em São Luís, de Arraial/ Quebra-Pote até Icatu, que apresenta boa profundida­de e as condições de maré são mais adequadas”, afir­mou o presidente da MOB, Artur Cabral.

Atracadouro Icatu

Em Icatu, o atracadouro fi­cará localizado no povoado de Santa Maria, a 22km da sede, localidade do marco inicial da colonização por­tuguesa no Maranhão. A tra­vessia de São Luís a Icatu também deverá proporcio­nar a diminuição no tempo de viagem para Barreirinhas. O projeto ajudará a impul­sionar o desenvolvimento econômico do Polo do Mu­nim, que integrará o rotei­ro complementar da Rota das Emoções, que vai de Bar­reirinhas (Maranhão), pas­sando por Parnaíba (Piauí) até chegar em Jericoacoara (Ceará).

De acordo com o presiden­te da MOB, Artur Cabral, parte dos estudos de engenharia já foi concluída. “Estamos finali­zando a engenharia para via­bilizar o acesso para os dois lados. A parte de maré, pro­fundidade e correnteza já fo­ram concluídas. Os estudos de engenharia de acesso terrestre que envolvem rampa e termi­nais de passageiros estão em andamento”, informou.

Após a conclusão da etapa de engenharia, será feita uma convocação pública para o re­cebimento de propostas para o serviço de ferryboats. O Gover­no do Estado oferecerá como contrapartida de investimento o acesso de embarque e desem­barque e as empresas ficarão responsáveis pelo investimento em embarcação e atracagem. Segundo a MOB depois de fi­nalizada a última fase, o ser­viço deve entrar em operação no início do segundo semes­tre de 2017.

Ponta da Espera e Cujupe

Com viagens diárias nos Termi­nais de Passageiros de Ponta da Espera, em São Luís, e de Cujupe, no município de Alcântara, os fer­ryboats transportam passageiros, ônibus, caminhões e veículos le­ves. O sistema atual de transpor­te de ferryboat liga a Ilha de São Luís com a Baixada Maranhen­se e com a Região Norte do país.

A Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), responsável pela infraestrutura dos terminais, em parceria com a Agência Estadual de Mobilida­de Urbana, iniciou as melhorias anunciadas para os terminais existentes.

A nova estrutura para o Ter­minal do Cujupe, em Alcântara, contará com um posto da Polí­cia Mili­tar, lojas de conveniên­cias, alojamen­to para funcionários, auditório, estacionamentos privativos, a inserção de mais uma rampa no sentido Sul, a du­plicação da passarela no senti­do Norte, sendo todas as áreas sinalizadas e adaptadas para re­ceber pessoas com deficiência.

Em São Luís, o projeto do Ter­minal da Ponta da Espera conta com área de vivência com salão de embarque, lanchonetes, ba­nheiros e fraldário, acesso se­guro para pessoas com mobi­lidade reduzida e wifi.

A primeira fase do plano de transformação do Terminal do Cujupe (instalação de 365 me­tros de área coberta linear), en­tregue em dezembro, foi reali­zada com o objetivo de proteger os usuários do sol e da chuva, ampliando o serviço de atendi­mento ao público. As passare­las são duplicadas, de modo a contemplar embarque e desem­barque simultâneos. A ordem de serviço para o início da segunda etapa, que vai erguer um novo terminal, será assinada ainda este mês.

Assis Filho toma posse de secretaria

Francisco de Assis Filho teve seus bens bloqueados em investigação de um suposto esquema de funcionários fantasmas

Trump dispara contra OTAN e UE

Presidente eleito dos Estados Unidos também acredita que mais países sairão da União Europeia

Setor hoteleiro está otimista

Praias limpas e as mais de 200 rotas áreas que chegam ao Maranhão animam donos de hotéis

Maranhão com mais 7 defensores públicos

Mais de 4 milhões de maranhenses são atendidos pela Defensoria Pública Estadual (DPE)

Acidente mata cinco pessoas na BR-010 sendo três crianças

A PRF culpou a má condição da rodovia pelo acidente

Ferrovias seriam solução para o Itaqui, diz especialista

Com transporte ferroviário os custos de logística poderiam cair 38% por tonelada

Projeto incentiva o cultivo de sururu em Bequimão

Mais de 30 habitantes do povoado já foram capacitados no manejo e cultivo de moluscos

Municípios maranhenses receberão ônibus escolares

Os veículos foram adquiridos em parceria com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e serão doados às prefeituras

SENAI abre vagas para curso grátis

O objetivo foi formar mão de obra qualificada, que possa ser empregada pela própria concessionária ou por empresas parceiras que atuam em suas obras

Obra da Odebrecht em 'Paço' é embargada

Segundo a prefeitura, a obra estava sendo executada sem sem solicitação à prefeitura, sem apresentação de projetos e sem pagamento de tributos

VEJA MAIS