Política

Velloso responde hoje a Temer se aceita convite para Ministério da Justiça

O mineiro, que atua como advogado em Brasília, vai avaliar se pode deixar os processos de seus clientes.

Carlos Velloso

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Carlos Velloso, responde até a noite desta sexta-feira ao presidente Michel Temer (PMDB) se aceita o cargo de ministro da Justiça. Para a decisão vão pesar os casos para os quais advoga em seu escritório em Brasília.

“Se eu não conseguir resolver satisfatoriamente os problemas que possam advir da minha retirada total da advocacia, isso impediria minha ida para o Ministério. Estou tentando superar essas questões, tenho contas a prestar aos clientes. Se não superar não vou poder”, afirmou Velloso.

Segundo o ex-presidente do STF, para romper os contratos de advogado é preciso a aquiescência dos dois lados e a única possibilidade caso aceite virar ministro, segundo ele, é a de afastamento definitivo.

Sobre as críticas feitas por alguns pelo fato de ele ser amigo do senador Aécio Neves (PSDB), o ex-ministro responde que não vê problema algum. “Sou amigo do Aécio desde os 22 anos dele, como fui amigo do pai e do avô, e me honro com essa amizade. Tenho dois processos em que advogo para ele mas, se fosse para o ministério, teria que sair”, disse.

Velloso ainda não sabe se estará pessoalmente com Temer nesta sexta-feira. “A resposta pode ser pessoalmente ou por telefone, sou amigo pessoal do presidente e temos essa liberdade”, disse.