O SUCESSO DO ENTRE VINHOS

´Entre Vinhos´da Spazio Mateus é sucesso e ensina da melhor forma como podemos harmonizar deliciosos pratos com vinhos

Reprodução

A Espanha é um país mundialmente famoso por diversos aspectos: sua cultura e história riquíssimas, seus premiados clubes de futebol e também por suas paisagens exuberantes. Além de todos esses atrativos, o país ostenta uma gastronomia requintada com saborosas iguarias.

O presunto é destaque em muitos pratos espanhois, os tipos de Jamón Ibérico e o Jamón Serrano, assinados por Josep Ramon Llorens Requena, considerado embaixador desses tesouros espanhóis, estão entre os preferidos dos grandes Chefs.

Para conhecer mais sobre esses produtos e a melhor forma de harmonizá-los com vinhos, o Spazio Mateus realizou o projeto “Entre Vinhos”, nas adegas do Mateus Renascença e  Mateus Cohama. A primeira edição contou com a presença do presidente da marca, Josep Llorens I Fills, que apresentou a matéria-prima, a alimentação, o processo de cura e a produção limitada dos produtos. Processos tão especiais que transformam as peças em verdadeiras joias da culinária, e ainda mais saborosas quando acompanhadas de vinhos e espumantes espanhóis. 

“Para mim é um momento fantástico! Após sete anos eu retorno a São Luís apresentando os produtos da marca Josep  Llorens, que em 2020 completa 40 anos. Sabemos da apreciação dos brasileiros pelo jamón e os maranhenses não são diferentes. A nossa missão é trabalhar sempre para obter produtos de qualidade e acessíveis a todos”, ressaltou o presidente  Josep Ramon Llorens.

Durante o evento os participantes degustaram os variados tipos de presunto produzidos pela Josep Llorens: o Jamón  Serrano, em que o porco se alimenta somente de milho e passa pelo processo de maturação de 24 meses e o Jamón Ibérico, que se alimenta de castanhas e passa por um processo de maturação de 36 meses.

Na harmonização foram apresentados cinco pratos. Os aperitivos e saladas com jamón foram acompanhados com o espumante “Cava Dom Román”. As massas o spagueti, com o vinho tinto “Monasterio” e a lasanha com o vinho tinto “Pata Negra Gran Reserva”.

A sommelière e gerente comercial do Spazio Mateus, Raquel Aciole contou sobre a  harmonização dos pratos com os vinhos tintos espanhóis. “Tivemos  a presença de um Cava, que é um espumante método tradicional da Espanha e cinco vinhos tintos espanhóis da uva Tempranillo. Para aqueles que não estão muito familiarizados com essa uva, pode-se dizer que ela é um meio termo entre Pinot Noir e Cabernet Sauvignon. O vinhodessa casta combina com diversos tipos de comida. Harmoniza bem tanto com pratos da região de Rioja, na Espanha, como Jamón Ibérico – o presunto parma espanhol- e vegetais grelhados, mas também com inúmeros outros pratos, como carnes vermelhas. Com esse vinho você pode, e deve, usar e abusar da criatividade, pois é realmente um vinho bem versátil”, explicou Raquel.

Fabiano Junqueira estava bastante animado durante o evento, o engenheiro falou que é entusiasta da bebida e não perde a oportunidade de saber mais sobre vinhos. “Achei super legal esta iniciativa do Spazio Mateus, gosto muito de participar de cursos e harmonizações com vinhos. É muito bom  para conhecer rótulos espanhóis e harmonizar com os presuntos e outros embutidos”, destacou o engenheiro.

Jamóns

O Jamón Serrano, produto imprescindível na culinária espanhola, leva esse nome por ser elaborado em áreas montanhosas, que propiciam excelentes condições para os períodos de cura. Os suínos possuem origem celta (porco branco) e a alimentação não precisa ser apenas a base de bellotas, como no caso do Jamon Ibérico.

O Jamon Ibérico ganhou o apelido de Pata Negra por ser feito a partir do pernil traseiro dos porcos ibéricos. Os animais são negros, inclusive as patas, e se alimentam exclusivamente da bellota, uma espécie de castanha, produzidas pela árvore azinheira, que leva 100 anos para dar frutos. É essa alimentação, e o fato de eles pastarem livremente pelos bosques de carvalho, que faz toda diferença no produto final, já que a bellota confere à carne uma textura especial e um sabor adocicado sem igual.

Em ambos os casos, o processo de criação, o abate dos porcos, o tempero, o tempo de cura e o modo de servir obedecem a rígidos padrões. Salgado e curado de forma natural e artesanal, cada peça é pendurada para que o excesso de gordura escorra por completo, em um processo que pode durar  até 36 meses. Os produtos são trazidos ao Brasil pelas importadoras Porto a Porto e Casa Flora.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias