Reprodução

O navio JBU OPAL, de bandeira das Ilhas Marshall, atracou às 18h da última quarta-feira,4, no píer petroleiro inaugurado em 27 de março deste ano pelo governador Flávio Dino no Porto do Itaqui, para a primeira operação realizada no novo berço, com a descarga de 5 mil toneladas de etanol.

“Em 2015, quando assumimos a gestão do Porto do Itaqui, a construção do Berço 108 encontrava-se praticamente paralisada, com o convênio federal com pendências técnico administrativas”, conta aTed Lago, presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP).

“Por determinação do governador Flávio Dino, iniciamos imediatamente um trabalho para sanear todos os entraves e evitar a descontinuidade, retomando a produtividade da obra em 90 dias e hoje o Itaqui conta com um novo píer para granéis líquidos, com todas as licenças concedidas, tornando-se mais um atrativo para novos investimentos no porto, trazendo mais segurança e eficiência para nossas operações e vantagem logística para todo o corredor Centro Norte do Brasil”, completou Ted Lago.

O início da operação do Berço 108 amplia a capacidade de movimentação de granéis líquidos do Porto do Itaqui em 40%, o que equivale a R$ 4 milhões de toneladas/ano e reafirma o novo momento por que passa o porto público.

“Com o início das operações do novo píer petroleiro, esperamos diminuir o tempo de espera dos navios em pelo menos 33% além da expectativa de retomarmos as operações de transbordo”, destacou Silvio Aguiar, gerente regional da Granel Química, uma das empresas com sede no Porto do Itaqui que opera armazenagem de granéis líquidos.

Em três anos a EMAP já investiu R$ 161 milhões em obras de modernização da infraestrutura portuária e serviços de melhorias, além de reformas e manutenção. A lista de obras entregues é extensa e inclui um novo sistema de iluminação da área primária, melhorias no Pátio de Regulação de Carretas e nova estrutura de controle de acesso com a construção de portaria avançada.

Além do novo Pátio de Cargas e Contêineres, um moderno sistema de combate incêndio e barreiras de contenção foi instalado na linha de cais, dando mais segurança às operações, além de um novo Centro de Controle Operacional. Fora as realizações implementadas com recursos próprios da EMAP, atores privados, atraídos pelo novo momento que vive o Itaqui e confiantes na continuidade dos acertos da gestão, vem intensificando investimentos e antecipando a prorrogação de contratos.

Novos terminais estão sendo erguidos na poligonal do porto e entorno, contribuindo para ampliar e modernizar ainda mais a recepção, armazenamento e expedição de cargas. É o caso do Terminal Químico (TEQUIMAR), dedicado a granéis líquidos, cuja primeira fase de expansão estará concluída em breve e prevê a construção de tancagem adicional para combustíveis, aumentando em, no mínimo, 48 mil metros cúbicos a capacidade atual de armazenagem no Itaqui.