Você pode não reparar, mas eles, os publicitários, são agentes fundamentais e presentes a todo instante nas nossas vidas: dos anúncios em revistas, jornais, internet e outdoors, até o modo como consumimos e desejamos determinados produtos, marcas e serviços. Na última quinta-feira, 2, foi comemorado o Dia do Publicitário! Por isso, conversamos com o diretor do Grupo Phocus, Daniel Caracas, para desmitificar ou reafirmar algumas questões que rondam a profissão. Confira!

Todo publicitário é descolado?

MITO! Se, ao pensar na figura de um publicitário, a primeira coisa que te vem à cabeça é um cara barbudo, tatuado, camisa xadrez e óculos geek, que passa o dia divagando e tendo ideias malucas, repense! A verdade é que estes profissionais, no dia-a-dia, são como qualquer um: possuem compromissos, responsabilidades e prazos a cumprir.

“Muita gente acha que na agência fica todo mundo jogando sinuca, batendo um papo e tocando guitarra, e no meio disso aí a gente cria umas ideias divertidas e apresenta pros clientes, e tá tudo lindo”, descontrai Daniel Caracas, diretor do Grupo Phocus. “A verdade é que propaganda é muito hard work mesmo. É uma profissão que exige muita dedicação, muito trabalho, então tem muito suor”, comenta. Além da inspiração, a chave é transpiração!

Não precisa necessariamente ter coque samurai e camisa descolada para entrar numa agência. Mas se quiser, pode.

Publicitário tem um dialeto próprio?

VERDADE! Publicitário tem que fazer brainstorming para estabelecer o briefing, lidar com deadline apitando e o target exigente para, enfim, entregar o job para o cliente. Não entendeu nada? Calma! É que os profissionais da área possuem um dialeto próprio que já soa natural no dia-a-dia. “A gente tem um glossário muito extenso de termos muito peculiares. Uma pessoa pode ficar meio perdida numa conversa onde se está falando sobre muitas coisas do universo da propaganda”, comenta Daniel.

“O diploma de publicidade vem com certificado de fluência em inglês junto?”

Publicidade não envolve exatas?

MITO! Se você pensa em fazer publicidade porque, durante o ensino médio, não suportava aquelas disciplinas de exatas, esta é a hora de repensar. Uma agência publicitária tem espaço para vários tipos de profissional, que, por vezes, precisam ter consigo a veia dos números: do atendimento à criação, passando pelas mídias sociais – este último, por exemplo, deve entender de dados, planilhas, gráficos, índices de audiência… Ufa!

“São coisas até mais importantes do que a criatividade. São pessoas que vão trabalhar iminentemente gerenciando projetos e fornecedores, gerenciando pessoas”, explica Daniel Caracas. “A agência é vista como só o local do criativo, e existe, claro, boa parte das funções que precisam de pessoas criativas. Mas existem outras áreas que demandam outras características e outra natureza profissional”, completa o publicitário.

Lidando com números, dados e algorítimos…

Publicitário ganha muito?

DEPENDE! Não comece a jornada publicitária achando que vai ganhar rios de dinheiro com campanhas milionárias para grandes empresas. É como achar agulha em palheiro. A questão, explicam os publicitários, é que a remuneração varia de profissional para profissional, e de agência para agência. “Tem em qualquer profissão profissionais conhecidos que são bem remunerados. Varia muito de mercado pra mercado, da posição dentro da agência, da experiência profissional”, conta Daniel.

É uma caminhada…

Ser publicitário é só diversão e glamour?

MITO! Voltamos à lenda urbana do publicitário descolado. Se você vislumbra as festas, os momentos de descanso e o happy hour depois do turno, é melhor se preparar para muito trabalho e suor. É que o glamour das agências fica na lembrança: “Em algum momento já foi assim, mas acho que hoje em dia é muito hard work“, conta Daniel Caracas.

“Muita gente é atraída pra profissão por esse pseudo-glamour que ainda se sustenta, e se decepciona exatamente por isso, por não encontrar esse glamour que não existe mais”, explica o diretor da Phocus.

Vibes Mad Men

Publicitário trabalha fora de horário?

VERDADE! Se você é do tipo que sonha com uma profissão estável e tranquila e um trabalho com horário de entrada e saída, talvez a publicidade não seja o melhor caminho. É que trabalhar fora do horário, passar da hora de ir embora da agência ou até mesmo fazer os jobs de casa são ações comuns para os publicitários. “O horário é muito flexível no universo da propaganda. Geralmente, as pessoas chegam e saem mais tarde. Essa ausência de um horário de chegada e saída é uma realidade. Você tem que conviver muito bem com essa flexibilidade”, comenta Daniel Caracas.

E depois de alguns meses saindo tarde da noite da agência, você provavelmente vai estar assim…

Publicitário tem que correr contra o tempo?

MITO! É fato que os publicitários pensam e agem num timing muito mais frenético que o da maioria das profissões. “Com certeza nós somos uma profissão muito acelerada. Não é aquele trabalho que a gente fica lá, sem fazer nada. É puxado, vai te demandar muito e exigir muito”, explica Daniel. No entanto, isto não significa que o publicitário vive correndo contra o tempo a todo momento. “Desafios e prazos são cada vez mais apertados, mas se você trabalha com planejamento, se tem um diálogo com o cliente, consegue negociar prazos mais normais”, conta o publicitário. Tome nota! A chave é a organização.

DEADLINE! DEADLINE!

Publicitário tem que lidar com muita pressão?

VERDADE! Já imaginou conseguir ser criativo e entregar o trabalho com o chefe apitando no seu ouvido e o cliente apitando no ouvido do chefe? É esta a realidade das agências publicitárias. “Publicitário geralmente está sob pressão. Tem uma responsabilidade muito grande, está gerenciando a verba de um cliente que demanda um resultado. Você tem que lidar bem com pressão de resultado, de qualidade”, relata o diretor da Phocus. “Se você é uma pessoa que não gosta de ser cobrada por prazo, por qualidade, dificilmente você vai se adaptar bem numa agência”, conclui.

“A peça voltou com mais uma alteraçãozinha do cliente”

Ambiente de agência é mais descontraído?

VERDADE! Apesar de vida de publicitário não ser só diversão, as agências apresentam, de fato, um clima mais descontraído e livre nos aspectos do vestuário e horários, o que acaba estimulando a criatividade. “A publicidade é exatamente unir o lado artístico, criativo, mas com objetivo, com o foco. É a união do artista com a responsabilidade. Nesse meio do caminho está o publicitário”, finaliza Daniel Caracas.

“Ai, como é bom ser publicitário!”