HISTÓRIA

6 coisas sobre São Luís que provavelmente você não sabe

Daniel de La Touche não estava na fundação de São Luís? O traidor  de Tiradentes viveu e morreu em São Luís? Confira essas e outras curiosidades

Entender história nem sempre é tão fácil! Principalmente quando se trata de São Luís, única cidade brasileira fundada por franceses, invadida por holandeses e, na sequência, colonizada pelos portugueses. Ufa!

Pensando no tanto de ‘loucura’ que São Luís passou para chegarmos até aqui, selecionamos juntamente com historiador Euges Lima, algumas curiosidades sobre São Luís que provavelmente você não saiba, viu?!

1-Daniel de La Touche não estava no momento da fundação de São Luís.

Como assim?!

Isso mesmo que você leu! Segundo o livro de Claude d’Abbeville, História da Missão dos Padres Capuchinhos na Ilha do Maranhão, o fundador  oficial de São Luís, Daniel de La Touche, não esteve presente na cerimônia de 8 de setembro de 1612, pois era protestante e a cerimônia foi imperativamente católica. “Protestante jamais iria participar de uma cerimônia de posse em nome do catolicismo! A primeira comemoração aconteceu em 1912 quando a cidade já tinha 300 anos. Segundo o livro, no dia 8 de setembro foi eleito o aniversário, em razão de uma procissão feita Franceses e índios tupinambás. Ali eles vão erguê uma cruz juntos e essa cruz simboliza que naquele momento os franceses juntamente com os índios estão tomando posse da ilha de São Luís em nome do cristianismo. E como Daniel de La Touche era protestante, quem participou da cerimônia foi o François de Razilly, um dos líderes da expedição”, conta o historiador Euges Lima.

2-Palácio dos Leões nem sempre teve esse nome

A sede do Governo do Maranhão nem sempre teve esse nome. Euges Lima detalha que esse nome foi colocado em razão de uma crítica. “Nem sempre o Palácio dos Leões foi chamado assim, remotamente, ele era chamado de Palácio do Governo, por sediar o governo executivo governadores no período colonial.  Por volta da primeira metade do século XX, na época das intervenções, na Era Vargas. Grupos oposicionistas usam os azulejos com gravuras leões como ironia para atacar o governador da época, ainda quando o Maranhão era governado por administradores políticos indicados pelo governo federal. Ao invés dele ficar irritado com o protesto, ele acaba neutralizando a crítica mandando fazer essas esculturas de bronze.  A partir daí ele deixa de ser chamado de Palácio do Governo e passa a ser chamar Palácio dos Leões.

3-Por qual motivo o nome São Luís permaneceu, já que é Francês?

Isso é algo a se pensar… Já que a cidade foi fundada por Daniel de La Touche (ou não) e eles foram expulsos pelos portugueses, mas ainda assim foi mantido o nome. Sabe o motivo?

Segundo um dos mais antigos cronistas da história de São Luís, Bernardo Berredo, autor de Anais históricos do estado do Maranhão( 1749) , Jerônimo de Albuquerque Maranhão, que expulsou os franceses, deixou o nome da cidade São Luís, para guardar para posteridade o seu feito. Mantendo assim a lembrança da presença francesa e logo sua memória.

4-O Cais da Sagração demorou quase 70 anos para ficar pronto

Isso mesmo! A construção do Cais da Sagração (confira o vídeo da TV Imparcial sobre o monumento), que fica localizado do Centro de São Luís, iniciou no ano de 1841. Em comemoração a coroação de D. Pedro II, no início do Segundo Império, e só foi inaugurada em 1909, quando o Brasil já era república. As obras foram iniciadas no bojo da coroação de D. Pedro II.

Ela foi iniciada em razão da coroação de Dom Pedro II, em 1841. Houve várias comemorações no Maranhão.O Exército Brasileiro que estava aqui no estado, se organizou para fazer celebrações.  Na ocasião também foi inaugurado monumentos como a Pedra da Memória”, detalha Euges.

5-Qual é a Praça Deodoro?

Ah! É essa aqui…

Não, não! A verdadeira Praça Deodoro é a praça seguinte, local onde os vendedores informais ficam instalados.

6- O traidor de Tiradentes viveu e morreu em São Luis

Sim, o primeiro delator da história, mais conhecido como traidor de Tiradentes, Joaquim Silvério dos Reis, Coronel Comandante do Regimento de Cavalaria Auxiliar de Borda do Campo, contratador de entradas, fazendeiro e proprietário de minas, que, diante da possibilidade de ter suas dívidas perdoadas pela Coroa, resolveu delatar os inconfidentes, deixando como mártir da Inconfidência Tiradentes.

Uma parte de sua vida, antes de falecer, se passou aqui no Maranhão (saiba mais aqui). Uma história pouco conhecida e controversa. Para começar, documentos e pesquisas comprovam que ele foi enterrado na Igreja de São João, no Centro de São Luís, porém, há divergências quanto ao que houve depois com seu túmulo e qual teria sido o destino dos seus restos mortais.

MOSTRAR MAIS