Com quase um século de ritmos pulsantes, indumentárias coloridas e muita alegria nas ruas de São Luís e na passarela do samba, os Blocos Tradicionais constituem um dos principais pilares da cultura maranhense. Os primeiros blocos surgiram no final da década de 1920 de forma modesta, sem muita pompa – geralmente eram formados por grupos de amigos que resolviam sair pelas ruas da cidade durante o carnaval, fazendo folia.

Foi a partir da década de 1940 que surgiram os primeiros concursos, e, com o passar dos anos, grandes desfiles competitivos nas praças João Lisboa e Deodoro.

Atualmente, segundo a Associação Maranhense de Blocos Carnavalescos (AMBC) e a Academia Maranhense de Blocos Tradicionais, existem em média 45 blocos na capital. Os Feras, Foliões, Príncipe de Roma, Os Vampiros e Tremendões são apenas um aperitivo do que o carnaval de rua ludovicense oferece aos brincantes.

Para celebrar a importância desse segmento para a cultura maranhense, foi instituído em 2006, pela Câmara Municipal, o Dia Municipal do Bloco Tradicional, através da lei 4698/2006. A data, 8 de maio, presta homenagem ao nascimento de Mestre Walmir Moraes Corrêa, um dos grandes nomes do carnaval maranhense e fundador do bloco Os Foliões.

Confira agora sete sambas para recordar o melhor dos Blocos Tradicionais:

1. OS FERAS – ‘É Só Esplendor o Baile de Os Feras’

2. OS VAMPIROS – ‘Guilhotina’

3. OS INDOMÁVEIS – ‘Glamour’

4. OS FOLIÕES – ‘Máscara de Meia’

5. OS TREMENDÕES – ‘Mercador de Ilusão’

6. OS BRASINHAS – ‘Rainha das Águas’

7. OS APAIXONADOS – ‘Se é Amor’