Foto: Arquivo pessoal

4 atletas amadores maranhenses estão na Rússia participando do Festival Futebol da Esperança realizado pela FIFA que acontece paralelo aos jogos da Copa do Mundo. Também participarão do torneio outros 31 países. O Festival realiza futebol misto, integrando meninos e meninas.

Cada jogo é divido em três tempos e será realizado da seguinte forma: no primeiro tempo eles debatem em conjunto as regras que regerão a partida. Regras estas debatidas entre os dois times e o mediador que faz o papel do árbitro.

Já no segundo tempo acontece a partida e no terceiro eles fazem uma avaliação do comportamento realizado dentro de campo, podendo até classificá-la como equipe vencedora a que não marcou gol ou que marcou menos gols, devido ao critério de avaliação que é regido pelo espírito de cooperação e de relação com o próximo.

Os jovens viajaram nesta segunda-feira para Moscou e têm entre 15 e 18 anos. Foram escalados Vitória Sousa Moraes, Luana Cantanhede, Lucas Cunha Mendes e Rian Costa. Dois deles participam de projetos sociais de incentivo ao esporte. Viajaram também Fábio Cabral, coordenador do Instituto Formação, entidade parceria do projeto, e a mediadora Karolyne da Luz.

Além de futebol, os jovens também participam de jogos de inclusão, agilidade, troca e intercâmbio de cultura. Além da socialização entre países. Todo mundo participa, são jogos voltados para inclusão, uma das delegações é composta por pessoas com deficiência física e outra com pessoas com síndrome de Down. “Quando eles fazem as regras, eles dizem: Todos eles tem que tocar na bola e participar, então todo mundo participa. Não tem essa desigualdade por ser uma competição” explica Karolyne.

Durante este final de semana, tiveram apresentações culturais de cada país para representar suas culturas. Os maranhenses levaram a Festa do Divino, Cacuriá e Bumba-meu-boi, como representação do Maranhão para todo o mundo.

Foto: Arquivo pessoal

“Os jovens que vieram estão se divertindo muito. O mais interessante desse Festival, além de ser paralelo à Copa do Mundo, é que eles aprendem bastante. (…) Nós que somos jovens líderes tivemos que vir três dias antes para aprender os jogos para ensinar para eles” fala Karolyne.

As atividades do festival encerram nesta quarta-feira, 04.