(Reprodução/cggtrading)

O Terminal de Grãos do Maranhão (Tegram), no Porto do Itaqui em São Luís, anunciou nesta semana o início da segunda fase do projeto que elevará a capacidade de movimentação de cargas para mais de 10 milhões de toneladas ao ano.

Segundo a assessoria da Tegram as obras devem começar no início de 2019 e automaticamente duplicarão a movimentação de carga pela recepção ferroviária, além de agregarem uma segunda linha de embarques de navios em mais um berço de atracação no porto.

Em nota, afirmou também que a movimentação de soja e milho somou 5,4 milhões de toneladas no período de agosto de 2017 a julho de 2018, sendo que 44% foi recebido pela ferrovia e 56% pelo transporte rodoviário, e 85 navios embarcados no período. Quando concluído o projeto a expectativa é receber 80% do volume pela ferrovia e 20% pela rodovia.

A ampliação fará com que o terminal alcance uma taxa de embarque de 5 mil toneladas de grãos por hora, permitindo o embarque de dois navios simultaneamente, assim como a ativação da segunda linha ferroviária que garantirá a descarga de oito vagões simultaneamente a uma taxa de 4 mil toneladas de grãos por hora.

O Tegram, operado pelo consórcio formado pelas empresas Terminal Corredor Norte, Glencore Serviços, Corredor Logística e Infraestrutura e ALZ Terminais Portuários, não informou a capacidade exata do terminal após as obras nem os investimentos previstos na segunda fase do projeto, que visa atender à crescente produção de grãos na região do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia).